sábado, julho 4

Estamos Ficando Cada Vez Mais Sozinhos...

Estava lendo uma matéria sobre os internautas e querem saber? E confesso que fiquei com um pouco de medo. Gente, 8 entre 10 brasileiros hoje em dia, frequentam sites de relacionamentos. O Orkut, o Twitter e o Facebook não preenchem a distancia, ou o abismo que há entre nós e nossos amigos.

A cada dia estamos mais sózinhos e mais distantes da civilização, dos humanos! O que temos hoje são um monte de notebooks ou computadores, sim minha gente, estes são os nossos amigos mais preciosos atualmente. Passamos mais de 8 horas sentados em frente ao computador, pesquisando, lendo, ou batendo papo com nossos "amigos virtuais". Será que isto basta?

Estamos perdendo nossos amigos reais e substituindo-os por máquinas. As pessoas não se encontram mais para tomar um cafezinho, bater um bom papo porque estão ocupadas consigo mesmas diante do computador. E quando um precisa falar com o outro, basta passar um email ou verificar se a pessoa se encontra no Messenger.

Pessoal, isto é uma coisa muito triste e nós não estamos levando em consideração tal fato, isto é um horror! Para se namorar hoje é preciso que se entre em sites de relacionamentos? Sem saber nem quem são as pessoas? Se são assassinos, ladrões, ou sei lá o que? Eu concordo plenamente que devemos evoluir sempre, mas não do jeito que as coisas estão caminhando.

E daqui há 5 anos como será? Estaremos todos robotizados! Diante de tal fato, deixo aqui uma perguntinha: Quem serão os amigos dos nossos filhos???

sexta-feira, julho 3

E Quando a Hipófise Não Funciona?

Lendo a matéria do nosso colega Kmmad, sobre o hipotireoidismo, eu gostaria de mencionar uma outra disfunção muito séria e de suma importância, que muitas vezes ocorre juntamente com o hipotireoidismo. A Hipófise. Eu tenho hipotireoidismo e a minha hipófise, é 0,0001. Ou seja: zero. Veja o que acontece quando esta glandula não funciona.

Esperamos que você possa aproveitar este texto sobre as doenças da hipófise. Ele foi compilado com a ajuda de diversos renomados endocrinologistas, radiologistas, patologistas e neurocirurgiões, de modo que pudesse ser acessível ao público em geral. No entanto, este não é um guia para auto-diagnóstico e nem mesmo uma maneira ideal de confirmar seu diagnóstico. A única maneira de obter um diagnóstico fidedigno é procurar seu médico. Este texto elucida diversos sinais e sintomas que podem auxiliar médicos e pacientes na sua jornada na direção da cura. Esperamos que você não tenha uma doença da hipófise, mas caso isso ocorra, gostaríamos que soubesse que hoje existem tratamentos medicamentosos e cirúrgicos bastante eficazes e seguros. Sem dúvida, o tratamento hoje é bem melhor que aquele existente há 10 anos atrás. No entanto, saiba que o tratamento das doenças da hipófise pode ser bastante prolongado (até mesmo uma vida toda...). O diagnóstico e tratamento do paciente com doença pituitária é algumas vezes difícil, e por vezes frustante. Os sinais e sintomas nem sempre se encaixam perfeitamente no que está escrito nos livros. A neuroendocrinologia é ainda uma especialidade jovem e os progressos ocorrem a cada dia. De uma maneira geral, é bastante difícil para o clínico geral manter-se atualizado em todos os ramos da medicina. É por este motivo que hoje existem profissionais dedicados exclusivamente às doenças da hipófise.

Doenças da Hipófise A hipófise (ou pituitária), também chamada de "glândula mestra", é uma glândula do tamanho de uma ervilha alojada na base do crânio entre os olhos. A hipófise secreta uma série de hormônios que dirigem funções vitais diversas tais como crescimento, desenvolvimento sexual, volume urinário etc. As glândulas adrenais e a tireóide são diretamente governadas pela hipófise. A hipófise possui sensores capazes de regular a atividade da maior parte das outras glândulas de nosso corpo. Os sintomas dos tumores da hipófise variam de acordo com seu tamanho e configuração, bem como caso o tumor secrete hormônios específicos. O maioria dos adenomas (tumores) da hipófise são benignos e crescem lentamente dentro da glândula. No entanto, tumores mais agressivos podem existir e crescer rapidamente, causando cegueira, aumento da pressão intracraniana e anormalidades endócrinas potencialmente fatais. Até 26% das hipófises estudadas em necrópsias possuem pequenos tumores em seu interior. Só uma minoria terá repercussão clínica. Infelizmente, mesmo aqueles que são diagnosticados, recebem tratamento inadequado. O tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico pode ser de 5 a 14 anos! Desnecessário dizer que quanto mais precoce o diagnóstico, mais adequadamente estes pacientes serão tratados. Crianças também podem possuir tumores hipofisários e apresentar sintomas bastante precocemente. Muitas linhas de pesquisa encontram-se hoje em desenvolvimento. Por que se desenvolvem os tumores hipofisários? Por que são tão comuns e por que poucos causam sintomas? Como podemos identificar aqueles que se manifestarão clinicamente? Como prever quais tumores terão comportamento agressivo e rescidivarão após cirurgia? Sabemos hoje, que estes tumores têm origem monoclonal (ou seja, a partir de uma única célula original). Isto significa que há uma base genética involvendo uma anormalidade gênica, que predispõe uma célula determinada a crescer desordenadamente, enquanto as células normais ao redor se comportam de uma maneira regulada. Hipersecreção de hormônios da hipófise - AcromegaliaDoença de CushingProlactinoma (hiperprolactinemia)Tumores secretores de unidade alfaSíndrome da sela vaziaHiposecreção hipofisária/ Tumores não-secrotores de hormôniosCraniofaringiomaCistos da Bolsa de RathkeSíndrome de Sheehan’s"Efeito de massa"HipopituitarismoHipotireoidismoDeficiência do hormônio de crescimentoSíndrome de AddisonHipogonadismoHipofisiteDistúrbios visuais Hipersecreção de hormônios da hipófise - Acromegalia A acromegalia é uma doença crônica, insidiosa e debilitante que inclui importantes modificações cosméticas e metabólicas. Além da brutalização dos traços faciais, as anormalidades metabólicas associadas à hipersecreção do hormônio de crescimento são responsáveis por grande morbidade e mortalidade relacionadas à indução de doenças cardiovasculares e aparecimento de outros tumores pelo corpo. Isto faz com que os níveis de hormônio de crescimento devam ser normalizados o mais breve possível.

Sinais e Sintomas Espessamento das partes moles- palmas das mãos, solas dos pés.Crescimento das mãos - aumento tamanho de anéisCrescimento dos pés - aumento número dos sapatosDor de cabeçaPele oleosaFace brutalizadaSuor excessivoFatigaManchas de peleSíndrome do tunel do carpoAfastamento dos dentes - restos de alimento frequentes entre os dentesHipertensãoDiminuição da libidoImpotênciaSecreção de leite pelos mamilosModificação ou perda da menstruaçãoDesordens de humorDepressãoApnéia do sono Doença de Cushing A síndrome de Cushing é causada por uma exposição prolongada do corpo a níveis elevados do hormônio cortisol. O cortisol é normalmente produzido pelas glândulas adrenais, que se localizam logo acima dos rins. Níveis normais de cortisol são importantes. O cortisol auxilia na manutenção da pressão arterial e função cardiovascular; auxilia na resposta inflamatória do sistema imune; regula o metabolismo das proteínas, carbohidratos e gorduras; balanceia a atuação da insulina no aproveitamento dos açucares e auxilia o corpo na resposta ao estresse.

Sinais e sintomas Face arredondada ou em "lua cheia"Machucados frequentes- pele delicadaAumento rápido inexplicável de peso, principalmente no tronco a abdomen.Manchas rochas pela peleAumento da gordura no pescoçoDesordens de menstruaçãoBochechas avermelhadasEscurecimento da peleHipertensãoDiminuição da libido e fertilidadeExcesso de crescimento de pelosFraqueza muscular em braços e pernas. Diabetes melitusAlterações de humor e memóriaDepressãoDor de cabeça

Prolactinoma (hiperprolactinemia) O prolactinoma é um tumor da hipófise que secreta prolactina (o hormônio da lactação). O tumor é benigno em 99% dos casos. É também o tumor pituitário mais comum (28% do total). A causa de sua origem é desconhecida.

Sinais e sintomas: Diminuição da libidoSecura vaginal, dor à relação sexualDistúrbios visuaisGanho de peso inexplicávelAlterações de humorHipogonadismo em homensSecreção de leite pelos mamilosDor de cabeçaModificações ou desaparecimento ciclo menstrualInfertilidadeFraturas ou osteoporosePuberdade retardada Tumores secretores de unidade alfa Estes tumores costumam secretar somente fragmentos dos hormônios hipofisários e portanto não possuem uma síndrome endócrina de hipersecreção. A sub-unidade alfa representa metade dos hormônios FSH, LH e TSH (cada um deles é composto de sub-unidades alfa- e beta). Boa parte daqueles tumores chamados não-funcionantes secretam sub-unidade alfa mas a maioria deles não secreta quantidades apreciáveis de FSH, LH ou TSH. No entanto, é possível dosar a sub-unidade alfa no sangue. Estes tumores são frequentemente agressivos. Síndrome da sela vazia A síndrome da sela vazia ocorre quando se detecta por meio de imagens a presença de líquor no local que deveria ser ocupado pela hipófise, dentro da sela túrcica. A causa mais comum é a existência de uma abertura grande no diafragma da sela, uma membrana que recobre a hipófise e normalmente impede a entrada do líquor na região. Quando esta membrana tem uma abertura muito grande, a pressão do líquor de cima para baixo causa um achatamento da glândula hipofisária, na direção do fundo da sela túrcica, como que para o fundo de um balde. Nesta situação, a função hipofisária é em geral normal mas alguns pacientes relatam dor de cabeça, hiperprolactinemia, secreção de leite pelo mamilo e menstruações irregulares. Alguns pacientes possuem sela vazia decorrente de processos inflamatórios locais, como a neurosarcoidose; outros possuem a associação de sela vazia e tumores dentro da hipófise residual. Hiposecreção hipofisária/ Tumores não-secrotores de hormônios Sinais e sintomas: Dor de cabeçaPerda visualFatigaLetargiaModificações do ciclo menstrualDiminuição da libido

Craniofaringioma Os craniofaringiomas são tumores intracranianos que podem ocorrer em qualquer idade mas são mais comuns na infância e adolescência. Nestes grupos, podem representar até 10% dos tumores cerebrais. Os craniofaringiomas não são descobertos até que comprimam estruturas cerebrais importantes ao seu redor. Assim, mesmo sendo sempre benignos, eles são em geral bastante grandes quando tornam-se detectáveis.

Sinais e Sintomas Dor de cabeçaDistúrbios visuaisPerda crescimento em criançasDistúrbios menstruaisPuberdade retardadaSecreção de leite pelos mamilosRedução da libidoFatigaHipotensão arterialPele secaAumento da sensibilidade ao frio e calorNáuseasConstipaçãoAlterações de humorGanho de peso inexplicávelDiabetes insipidus

Cistos da Bolsa de Rathke Sinais e sintomas: Dor de cabeçaAlterações na menstruaçãoSecreção de leite pelo mamiloDistúrbios visuaisDeficit de crescimentoPuberdade retardadaFadigaPele secaNáuseaAumento sensibilidade ao frioConstipaçãoHipotensão arterialAlterações de personalidadeDepressãoDiminuição da libido

Síndrome de Sheehan’s Sinais e sintomas Insuficiência adrenalPerda de pelos axilares e púbicosAmenorréiaLactação ausenteInvolução uterinaHipotireoidismoAtrofia genital e mamária

"Efeito de massa"Qualquer massa localizada na região da hipófise pode causar sintomas inespecíficos. Estes incluem dor de cabeça, náuseas e vômitos, que podem corresponder a um aumento da pressão intra-craniana. Além disto, uma massa nesta região pode comprimir os nervos que se dirigem aos olhos e causar alterações da visão (da visão periférica nas fases iniciais). Sinais e sintomas: Deficit crescimento e maturação sexual em criançasFadigaDiminuição libido e impotênciaDor de cabeçaDistúrbios visuaisPalidezIntolerância ao frioVisão duplaHypopituitarismo Hipopituitarismo O hipopituitarismo é a ausência congênita ou adquirida da secreção dos hormônios hipofisários. Muitos casos de hipopituitarismo são causados por tumores da hipófise, mas existem várias outras causas. As deficiências mais comuns de secreção da hipófise são de hormônio de crescimento e das gonadotrofinas (o hormônio luteinizante e o hormônio estimulante dos folículos). Estas perdas hormonais causarão hipogonadismo e infertilidade. O deficit de hormônio de crescimento em crianças causa retardo no crescimento. Em adulto, causa aumento da massa de gordura e redução da massa muscular. Hipotireoidismo É uma doença insidiosa que resulta em letargia, ganho de peso, intolerância ao frio, afilamento do cabelo e espessamento da língua. É facilmente revertida pela reposição do hormônio tireoidiano, habitualmente 1 a 2 comprimidos por dia. Excesso de hormônio pode ser tão ruim quanto sua falta! A dose do mesmo deverá ser monitorada por seu médico. Deficiência do hormônio de crescimento A deficiência do hormônio de crescimento em crianças causa um retardo no crescimento e caso não seja tratada leva ao nanismo. Em adultos, os sintomas da deficiência de hormônio de crescimento não são óbvios e nem todos os adultos deficientes do hormônio serão sintomáticos. Entretanto, alguns adultos reclamam de letargia e diminuição da energia para as atividades diárias. Eles também possuem uma diminuição da massa magra (muscular) e aumento da massa gordurosa. Estas alterações podem ser corrigidas com o uso do hormônio do crescimento sintético.

Síndrome de AddisonSinais e sintomas: Fadiga crônicaFraqueza muscularPerda do apetitePerda de pesoNausea, vômitos, diarréiaHipotensão arterialTonturas, desmaiosIrritabilidade e depressãoDesejo por comida salgadaBaixas taxas de açucar no sangueMenstruações irregulares Hipogonadismo O hipogonadismo é causa de infertilidade e diminuição da libido. Nas mulheres, as alterações são mais óbvias e incluem ausência de menstruação. Nos homens, as alterações são mais sutis. O Viagra não é a solução quando a perda da libido deve-se à insuficiência hormonal!

Hipofisite Hipofisite signfica "inflamação da glândula hipófise". O termo é genérico e a inflamação pode advir de vários tipos de infecção ou doença autoimune (onde o organismo combate suas próprias células). Se bem que doenças granulomatosas como a tuberculose e outras já representaram importante causa de hipofisite, a origem autoimune é hoje a mais comum. Conhecemos muito pouco das razões que predispõem certas pessoas à hipofisite autoimune (mesmo naquelas portadoras de doenças autoimunes como o lupus, a artrite reumatóide etc) mas ela é certamente mais comum em mulheres, em especial durante a gravidez ou após a mesma.

O resultado da inflamação da glândula é em geral uma redução na função da mesma (chamada hipopituitarismo), que pode afetar um hormônio ou vários deles. Em mulheres jovens, podem ocorrer aumentos transitórios de alguns hormônios. Caso a inflamação seja exclusiva da hipófise, ou seja, não afetar outras glândulas do corpo, a recuperação total expontânea pode ocorrer. No entanto, da mesma maneira como a doença pode desaparecer expontaneamente, ele poderá retornar no futuro.

Distúrbios visuais A presença de massas na região da hipófise pode causar compressão dos nervos da visão e alterações visuais. De uma maneira geral, começa a ocorrer uma perda progressiva da visão lateral (periférica) de ambos os olhos. Caso não tratada a causa de origem, pode haver evolução para cegueira.

E O Que Fica É Nada...

  • Como não saber...
  • Se não ter o bastante...
  • É nada...

  • Como dizer ...
  • Que o nada é tanto...
  • Que no entanto...
  • É só o que tenho...

  • Como não contar...
  • A verdade...
  • Se o tempo é tão curto...
  • Que se não dissermos voa...

  • Como afastar de sí...
  • O desencanto...
  • Se no entanto...
  • É tudo o que me resta...

  • Como não contar o que fiz...
  • Se de repente...
  • Tudo nos escapa...
  • E tudo o que fica é só...

  • Vamos...
  • Vamos crescer...
  • Vamos sair...
  • Vamos brindar...
  • Vamos comemorar...
  • Tudo o que está por vir.

  • Venha...
  • Não demore...
  • Que a vida passa rápido...
  • E tudo o que acontece...
  • É o que fica.

Lulucha

terça-feira, junho 30

Flor Cobiçada

  • Sua presença marcante...
  • Estonteante...
  • É tão rara quanto a flor mais cobiçada...
  • Tão majestosa...
  • Que te absorve por inteiro...
  • De tanta beleza...
  • Se tu contemplá-la...
  • Longamente...
  • Perceberás o quanto ela é envolvente...
  • Sente...
  • Seu toque aveludado,
  • Parece mais uma carícia...
  • Propriamente dita...
  • Deixa-me acariciar as tuas pétalas...
  • De todas as maneiras...
  • São tão macias...
  • Agora estão abertas...
  • Só para tí...
  • Ela te quer, vê como está radiante?
  • És tão linda, tão cativante, tão excitante...
  • E tão carnívora também...
  • Vais me comer?
  • Vou sim.
  • Inteirinho, quero que sejas só meu...
  • Então devora-me agora...
  • Como jamais o fizestes...
  • Sentes o perfume que dela exala?
  • Não é devastador?
  • Não, não dá para deixá-la ...
  • Se a deixares...
  • Ela sentirá a tua falta...
  • Murchará...
  • E por fim morrera...

Lulucha

Faça o Seu Page Rank Subir

Aumentar o seu Page Rank é um desejo comum de autores de sites e blogs, porque o Google PageRank é provavelmente o indicador externo mais relevante para o número de novos visitantes - e conseqüentemente para o faturamento, quando o site tem anunciantes (ou Adsense) ou faz vendas.

O PageRank (o nome é uma referência a Larry Page, um de seus criadores e fundador do Google) é o método matemático que o Google emprega para atribuir o grau de relevância relativa de cada uma das páginas incluídas em seu índice.

Exibido aos usuários na forma de um número natural entre 0 e 10, o PageRank é calculado por uma série de fatores, do qual o mais essencial é o conjunto de outros links na web que apontam para a página sendo avaliada - o PageRank considera que cada link que uma dada página recebe é equivalente a um “voto” na sua popularidade, mas neste caso nem todos os votos contam da mesma forma: links recebidos de um site com PageRank alto recebem peso maior do que os recebidos de sites com PageRank baixo.

Muito já se escreveu e se especulou sobre o funcionamento, uso e abusos do PageRank, e o artigo da Wikipedia sintetiza boa parte do que se sabe de concreto a respeito. Mas o resumo geral é que, dada a popularidade do Google como orientador de tráfego na Internet, ter um PageRank alto é uma fonte segura de um fluxo contínuo de novos visitantes para um site ou blog.

PageRank como índice de popularidade PageRank alto não é garantia de conteúdo de qualidade, mas apenas de popularidade. Entretanto, como qualquer mecanismo de ranking com critérios matemáticos, ele exerce um poder de filtragem, de tal forma que quando o Edney Souza tentou fazer uma lista dos blogs brasileiros com Page Rank 6, ele não conseguiu listar mais do que 15 (contando o dele próprio entre eles). Hoje a lista dele, que é de janeiro, já está desatualizada (alguns dos blogs citados à época hoje têm PR 5) e certamente existem mais alguns novos a acrescentar, mas o grupo de blogs brasileiros com PR 6 é bastante restrito.

Considerando o que se conhece sobre a fórmula do Page Rank, as receitas mais seguras para alcançar um determinado nível de Page Rank envolvem receber links de sites com este mesmo Page Rank (ou superior), o que ajuda a tornar muito mais difícil para um blog ou site pessoal brasileiro ultrapassar o PR 7 (ou mesmo o 6, que sob este aspecto é até relativamente comum). Mas esta dificuldade é muito mais um fator de motivação do que um obstáculo, sob o ponto de vista dos autores.

O PageRank não tem uma fórmula constante: o Google faz ajustes do cálculo periodicamente - às vezes de forma mensal, outras vezes em intervalos diferenciados. Como conseqüência, às vezes ocorre flutuação do índice atribuído a algum site, mesmo que o site em si, ou os links para ele, não tenham se alterado. Às vezes ele passa meses seguidos como PR 7, e depois passa outros tantos como PR 6, embora o número de links para ele, o layout e outras variáveis relacionadas ao cálculo variem pouco. A fórmula muda e o resultado se altera, como é natural.

Analisando os números um pouco mais de perto, é possível perceber que mais de 85% da diferença deve-se a visitantes adicionais que o Google passou a gerar, uma vez que na realidade brasileira os sites com PR 6 têm grandes chances de aparecer na primeira página de resultados de pesquisas no Google, sobre os assuntos mencionados neles. Em uma série de outros sites nacionais, o Page Rank alto faz toda a diferença .O John Chow, freqüentemente citado por aqui quando o assunto é monetização de blogs, recentemente alcançou pela primeira vez o PR 6 em seu blog, e também registrou a experiência, com detalhes e números sobre o impacto na visitação.

Como consultar - e aumentar - o seu Page Rank Existem muitas formas de consultar o Page Rank do seu site - a barra de ferramentas do Google oferece este recurso, há uma extensão do Firefox, e até mesmo sites que consultam o PR de uma página em dezenas de datacenters diferentes do Google, o que é útil quando queremos saber o que está havendo durante a implementação de um recálculo do Page Rank. Aumentar o Page Rank do seu site ou blog não é algo simples e nem imediato, mas as técnicas de SEO (Search Engine Optimization, ou otimização para sites de busca) ajudam. Mas não abuse delas, ou você perceberá que está escrevendo seu site para o Google, e não para seus leitores. E o pior: eles perceberão isso também. Para aumentar seu PR sem errar a mão, veja as dicas :

Veja aqui algumas dicas: o objetivo básico do jogo é conseguir o máximo de links para o seu site, de preferência em sites conhecidos, bem freqüentados e de forma destacada. Os links trazem visitantes ao seu site, e são a métrica básica para os sites de pesquisa avaliarem a popularidade do seu blog.

A relevância também é importante, por isso é sempre melhor se o link contiver algumas palavras-chave interessantes. Para obter links sem ser um chato pedinte, você pode recorrer a diversas estratégias: Disponibilize conteúdo inédito e de boa qualidade: isto é o que faz a Internet girar, e é o item para o qual sempre há demanda: um bom artigo ou uma boa história, inéditos (não necessariamente exclusivos) e bem escritos. Escreva conteúdo original e bom, e os autores de outros blogs e sites vão querer linkar para você, mesmo que você não peça e nem os avise.

No começo, claro que você vai ter de recorrer a outras das estratégias para que eles fiquem sabendo que seu blog existe, e passem a acompanhá-lo.

Você pode escolher alguns provedores e ferramentas, mas se quiser fazer algo definivo, pense bem antes de hospedar seu blog em provedores públicos como o Blogger e similares - eles são muito bons para diários pessoais e pequenos projetos, mas podem não acompanhar as demandas do seu crescimento.

Ofereça antes, não peça. A melhor forma de fazer o seu nome e seu link saírem da obscuridade em direção ao sucesso é oferecer algo que o público esteja procurando, e antes que alguém mais o faça.

O conceito de exclusividade de informação é estranho à Internet, mas consistentemente ser o primeiro a divulgar uma informação quente, ou escrever um tutorial sobre um tema inédito, é uma forma segura de ser notado, e atrair links naturalmente, sem ter de pedir a ninguém. Se você não fizer poeira, come poeira, como diria o Ricardo Semler - e se você não tiver conteúdo inédito, terá que se esforçar bastante para encontrar algum outro valor que o substitua, como a amplitude ou profundidade da cobertura.

Usar os diretórios e agregadores públicos: sites como o BlogBlogs, Rec6, Planet*, Technorati, Yahoo, Del.icio.us, Google Reader, Dmoz e muitos outros têm suas próprias maneiras para você se inscrever, notificar sobre seu conteúdo e manter atualizados os links e descrições para o seu blog. Tire proveito disso, e sempre leve em conta que os sites de busca consultam vários destes índices e incluem os dados deles na hora de calcular o score do seu blog.

Procure e mantenha parcerias e links cruzados: se você tem vários sites ou blogs, não deixe de regularmente publicar links entre eles. E sempre que surgir a oportunidade de uma parceria com outro site de conteúdo similar ou complementar ao seu, avalie com atenção. De modo geral, vale a pena fazer parcerias de links cruzados, mas não é desejável fazer isto a qualquer preço, ou com qualquer site.

Não trate seu blog como ilha, nem seus links como tesouros: publique links para conteúdo externo sempre que julgar relevante, mesmo que não tenha nenhuma garantia de que vai receber um link em retribuição. No mínimo, você vai estar facilitando a vida dos seus usuários (quem não odeia ler uma notícia em um portal e não ter o link para o site original que a publicou?), e há grande chance de que a retribuição aconteça. Não seja você mesmo uma ilha em seu blog: participe em outros blogs, fóruns, revistas, jornais e serviços on-line, converse com seus autores, divulgue o trabalho deles, comente, sugira e atue. Não faça isso esperando recompensas imediatas, e nunca tente disfarçar de comentário uma propaganda sua. O retorno é natural e sempre maior do que o esforço que você teve, se a sua atuação tiver sido sincera.

Estimule os comentários: comentários freqüentes nos posts são um atrativo importante, e também ajudam a gerar uma atmosfera de popularidade. Comentários são um fenômeno que se auto-sustenta se o seu conteúdo for suficientemente atualizado, mas às vezes é difícil fazer com que eles comecem a surgir. Uma dica, se o seu blog não for um projeto individual, é que os mantenedores se habituem a comentar (com conteúdo ou questionamentos relevantes, e não apenas elogios) os posts uns dos outros. Quem clicar para ver os comentários existentes já estará quase fisgado para deixar os seus, também.

Outra dica é incluir uma pergunta instigante, ou um convite à complementação pelos leitores, no final do post. Acompanhe as estatísticas: todo provedor de hospedagem minimamente decente oferece estatísticas sobre os acessos ao seu site, e você pode complementá-las muito bem com sistemas gratuitos como o Google Analytics ou mesmo com a instalação de softwares adicionais. Saber o que as pessoas estavam pesquisando no Google quando chegaram ao seu site, ou de que outro site elas vieram, qual o formato das telas delas, em que horários e dias da semana elas vêm mais freqüentemente, quais os artigos mais vistos por elas e várias outras informações é essencial para que você saiba o que está dando certo, e possa maximizar o retorno dos dias da semana, horários e palavras-chave mais fortes.

Assim que puder, anuncie: Se o seu site exibe anúncios, leve em conta que depois de atingir um certo volume de faturamento, com certeza vale a pena reservar uma parcela dele para publicar anúncios do seu próprio site em serviços como o Adwords do Google, ou em portais nacionais.

Fonte de pesquisa: Efetividade.com

domingo, junho 28

Um Verso Sentido...

  • O mundo não desaparece,
  • Quando você fecha os olhos...
  • Nem estará diferente quando você acordar.

  • Não, não se limite,
  • A recitar palavras...
  • De nada irá adiantar.

  • Você pode sentir os detalhes?
  • Aqueles que você nunca expressou...
  • Em palavras?
  • E quantas não foram as vezes...
  • Que te fíz sentir?!

  • Sinta...
  • Sinta esses momentos...
  • Você pode sentí-los...
  • Mesmo que não queira...

  • Admita,
  • Você está se bloqueando...
  • Está se distanciando...
  • De tudo e de todos...

  • Se desejas conhecer uma pessoa...
  • A fundo,
  • Junte tudo isso...
  • E você conhecerá...
  • O bastante,
  • Para saber o quanto ela te faz falta.

Lulucha