sábado, julho 17

Drogas + Remédios = Dependência e Morte

1. Qual é a droga mais difícil de largar?

Não depende só da substância consumida, mas também do usuário. Pode ser tão difícil para um fumante quanto para um dependente em heroína. O que vai fazer diferença é a força de vontade de cada um.

2. Quem começa a usar drogas mais cedo tem mais chance de se tornar dependente?

Crianças e adolescentes que experimentam cigarro e álcool estão mais vulneráveis ao consumo de drogas mais pesadas. Uma pesquisa da Universidade da Califórnia concluiu que 47% dos adultos que haviam começado a beber antes dos 14 anos tornaram-se dependentes. O porcentual cai para 9% entre os que iniciaram o consumo a partir dos 21 anos. No Brasil, o dado alarmante é que a iniciação ocorre cada vez mais cedo. Hoje, as crianças começam a beber aos 12 anos e meio. Nos anos 1990, dava-se o primeiro gole aos 14 anos.

3. Qual é a pior síndrome de abstinência?

Em geral, os dependentes em álcool e opiáceos, como heroína e morfina, anfetaminas, sofrem mais. Os primeiros dez dias de abstinência, considerada fase aguda, são os piores. Para alguns pacientes, diminuir o consumo aos poucos pode ser mais adequado. Outros adaptam-se de forma melhor à interrupção abrupta.

4. Qual vício é pior, em heroína ou crack?

Depende da pureza da substância e da dose consumida. Mas, em geral, os efeitos do crack são piores. Seus dependentes sofrem risco de enfarte e acidente vascular cerebral.

5. É verdade que ecstasy e LSD não viciam?

Estima-se que um em cada 20 consumidores de alucinógenos torne-se dependente. É relativamente pouco, se comparado a outras drogas. O LSD, por sua alta capacidade de tolerância, perde os efeitos se usado continuamente por dois ou três dias. Há dois perigos principais na sua ingestão: o risco de acidentes, potencializados pela alteração na capacidade de discernimento e pela perda de noção de tempo e espaço, e indução de surto psicótico, registrados em até 2% dos casos. Os estudos relativos ao ecstasy ainda são recentes, mas começa-se a registrar casos de dependência.

6. Qual droga que vicia mais?

O crack e a heroína são as substâncias com maior capacidade de dependência.

7. Existe overdose de ecstasy?

Sim, há relatos de morte por aquecimento excessivo do corpo e desidratação. Uma pessoa pode morrer, mesmo que tenha usado uma única vez.

8. O que a dependência em maconha pode causar?

Uma série de problemas. Ela pode precipitar crises em quem sofre de doenças psiquiátricas. Seu uso dilata os vasos sanguíneos e acelera os batimentos cardíacos. Pesquisas constataram que usuários têm quantidade de espermatozóides reduzida, em casos de consumo prolongado. Apesar de não atingir a maioria dos usuários, os sintomas de abstinência são irritabilidade, insônia, dor de cabeça e nervosismo. E muito cuidado para não misturar maconha com cocaína, essa mistura é morte quase certa.

9. Maconha Vicia?

Calcula-se que um em cada dez fumantes desenvolve dependência. É menos da metade das taxas de cigarro e quase equivalente ao índice de álcool. Há um perfil de risco para dependência: em geral, é jovem e ansioso, com tendências depressivas. Nos últimos 40 anos, em função de cruzamentos genéticos, a maconha ganhou variantes mais potentes - e perigosas. O skank, por exemplo, tem até cinco vezes mais concentração de THC, a substância ativa que proporciona os efeitos mentais.

10. Existe algum tipo de pessoa mais propenso a se viciar em remédios?

Qualquer um pode ficar dependente, mas os hipocondríacos estão um passo adiante. Por se julgarem sempre doentes, ficam mais vulneráveis ao consumo excessivo de medicamentos. Eles acompanham as novidades da indústria farmacêutica, sabem de cor bulas de remédios e adoram sair diagnosticando doenças nos outros. Calcula-se que cerca de 5% dos pacientes atendidos em hospitais e clínicas enquadrem-se nesse perfil.

11. Quais são os remédios que mais viciam?

Os casos mais comuns estão relacionados aos calmantes e às anfetaminas, usadas como moderadores de apetite. Na falta deles, os viciados chegam a sentir taquicardia e tremores. Entre os dependentes de anfetaminas, há relatos de surtos psicóticos.

12. O que são anfetaminas?

As anfetaminas são drogas sintéticas produzidas pela indústria farmacêutica e por laboratórios ilegais. A família das anfetaminas está inserida na classe de drogas conhecidas como estimulantes.
Essas drogas aceleram a atividade cerebral e do sistema nervoso central e produzem efeitos similares aos da adrenalina (hormônio produzido pelo organismo).
As anfetaminas foram sintetizadas na década de 1920, como descongestionantes nasais e para tratar obesidade e depressão. Durante a Segunda Guerra Mundial e as guerras da Coréia e do Vietnã, os soldados de ambos os lados recebiam anfetaminas para se manterem acordados, terem mais energia e menos apetite. Atualmente, seu uso terapêutico inclui tratamento da narcolepsia (episódios incontroláveis de sono), Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade e Parkinson.

13. Existe tratamento para se livrar da dependência de anfetaminas?

Não existe medicamento específico para tratar a dependência de anfetamina. Podem ser usados antidepressivos para combater a depressão que surge como efeito da abstinência.
O tratamento mais recorrente é a intervenção psicológica cognitivo-comportamental, que modifica a maneira de pensar do paciente, suas expectativas e comportamento. Aliás, gostaria de abrir um parênteses aqui, a anfetamina não só modifica o modo de pensar do paciente, como também faz com que o usuário faça coisas que não se lembrará futuramente, coisas do tipo: ficar extremamente arrogante, estúpido, agressivo, negligente para com os outros e irritabilidade por qualquer motivo.O usuário torna-se uma pessoa insuportável, sem paciência para nada. Para emagrecer não existe coisa melhor, só que a pessoa vira uma magra neurótica. Em muitos casos, o usuário vira um alcoólatra também, pois a anfetamina dá vontade de beber, e com isso a pessoa não dorme à não ser com calmantes fortes.Tornando assim um círculo vicioso péssimo.
De forma genérica, abordagens psicossociais são indicadas. Além destas e de grupos de auto-ajuda, é fundamental a avaliação de um psiquiatra. Além da alta taxa de co-morbidade com outras patologias psiquiátricas - que encontramos em todos os dependentes químicos-, no caso das anfetaminas, é muito freqüente a co-ocorrência de transtornos alimentares (anorexia, bulimia e compulsão alimentar periódica). Muitas vezes, eles são a patologia principal, sendo a dependência de anfetamina secundária ao transtorno alimentar. Casos assim devem ser tratados com acompanhamento psiquiátrico, nutricional e abordagens psicossociais.
O abstinência dessas drogas são semelhantes às da cocaina, suores,taquicardia, vontade de se matar, síndrome do pânico, e outras coisas mais...

14. O que o consumo excessivo de calmantes pode causar?

Quando são consumidos continuamente por alguns meses, os tranqüilizantes podem levar à dependência. Nessa situação, a falta do remédio causa efeitos inversos. Sem a droga, o usuário sente irritação, insônia, dor e sudorese. Casos extremos podem levar a crises de convulsão. Prescrito indiscriminadamente, calcula-se que esse tipo de remédio seja consumido, regular ou esporadicamente, por cerca de 10% da população adulta dos países desenvolvidos.

Vale lembrar que todos e quaisquer remédios tomados diárimente viciam, você sabia que se tomar Tylenol ou Anador ou qualquer anti-térmico todos os dias, também o torna um viciado???

Fonte de pesquisa: Revista Galileu e Lulucha

sexta-feira, julho 16

Bom Dia !!! Mesmo !!!


Bom dia!!! Mesmo!!!

Fazer sexo logo cedo faz mais do que pôr um sorriso no seu rosto — melhora sua saúde, seu visual e seu relacionamento

Cama quentinha, companhia agradável... e toca o despertador avisando que você tem que começar o dia. Não é a melhor forma de acordar. Mas é possível trocar o estridente ruído por sussurros e gemidos capazes de ligar até mesmo a Bela Adormecida. Então, por que não aproveitar para rolar entre os lençóis nessa hora e dar um gás extra à sua rotina???

Cientistas dizem que as pessoas que começam o dia fazendo sexo são mais saudáveis e mais felizes em todos os aspectos, comparadas àquelas que não se entregam à luxúria. Fazer sexo pela manhã nos remete a uma sensação química de bem-estar, provocada pela oxitocina, hormônio liberado no cérebro que faz os casais se sentirem amorosos e unidos o dia todo, e também é uma delícia, vamos combinar que sexo ao acordar é uma das melhores coisas que podemos fazer.

O prazer matutino é capaz de melhorar o funcionamento de diferentes órgãos, reforçar suas defesas, melhorar a circulação e diminuir a pressão. Além disso, reduz o risco de diabetes, fortalece ossos e músculos e ajuda a aliviar dores de cabeça. O trabalho, publicado na revista britânica New Scientist, destaca ainda que se trata de uma atividade que detona até 300 calorias por hora. Quer mais??? Casais que começam o dia transando têm melhor aparência, já que o orgasmo aumenta os níveis de estrogênio e outros hormônios relacionados ao brilho e à textura da pele e à saúde do cabelo. O que vai ajudá-la a economizar tempo com o make e a chapinha.

Além disso, ao acordar, a cabeça está livre de preocupações. Fica mais fácil curtir o momento. Então, garota, acorde e aproveite!!!

Acorde-o com um bom-dia sexy

Esqueça o despertador do celular com aqueles sons metálicos e programe seu telefone para tocar uma música suave. Assim que você acordar, tire o pijama — se já não estiver sem ele. Se seu parceiro estiver deitado de costas, com uma de suas mãos vá abrindo espaço entre as coxas masculinas, com seu polegar apontando para os genitais dele, sugere Alexis Arvidson, mestre em ciência da acupuntura pela Faculdade de Acupuntura Tri-State, de Nova York, nos EUA. Devagar, faça movimentos circulares com o dedo. De acordo com antigas técnicas, ao estimular essa área sensível do corpo do homem, o sangue flui mais rapidamente, o que o levará a começar o dia com uma explosão nas regiões íntimas.

Tire proveito da natureza

O corpo do seu namorado é programado para querer sexo logo de manhã (bom dia, flor do dia!). Enquanto ele dorme, produz e acumula uma quantidade grande de testosterona, que será usada durante todo o dia, diz Gabrielle Lichterman, autora do livro 28 Days — What Your Cycle Reveals About Your Love Life, Moods, And Potential (inédito no Brasil). Quando ele acorda, leva cerca de 3 horas para estabilizar seus hormônios, com níveis de pico, quando ele tem mais vontade de fazer sexo. Não perca tempo: pule para cima dele e ponha em ação o estilo girl on top, uma das posições sexuais preferidas dos homens.

Desperte o amigão

A cama está tão quentinha que você não tem vontade nem mesmo de ir escovar os dentes??? Tudo bem. Não precisa beijar seu querido na boca. Comece os carinhos pelo pênis. É interessante criar situações que fujam do convencional para despertar o desejo no parceiro. Muitas vezes a relação nesse horário não dá para ser elaborada; sexo oral pode ser uma boa. Escorregue entre os lençóis até atingir seu alvo e então dê beijinhos e lambidas para acordá-lo. Se ele já não estiver alerta, em poucos segundos estará batendo continência. Aí você decide entre continuar explorando a região com a boca e pular para cima dele.

Fique fresquinha

Entrar no banheiro para escovar os dentes pode significar mais do que espantar o bafo de dragão. “O mentol da sua pasta de dente pode dar uma sensação mais latejante durante o sexo oral”, diz a sexóloga Debby Herbenick. Foque o pênis e a pele do escroto, duas regiões ricas em nervos. Mas observe: pode levar alguns minutos para que os efeitos do mentol funcionem, então seja paciente — ele talvez não sinta isso na primeira vez

Conduza-o ao paraíso

Se você acordou pensando em sexo, divida seus mais excitantes desejos com seu parceiro. Não exatamente com palavras. Aconchegue-se em seus braços e faça com que ele a abrace. Então, segure a mão dele e conduza-a, deslizando por seu corpo, parando entre suas pernas.O homem normalmente se excita ao perceber que sua garota está com vontade. Então, nada melhor do que mostrar isso a ele. Faça-o sentir que você está no ponto e que vai ser fácil para ele completar o serviço.

Dispense os rodeios

As transas noturnas costumam ser mais cheias de rituais e fantasias. De manhã, uma boa aposta pode ser o sexo mais carnal, do tipo “Vem cá, meu bombom!” Isso não significa ausência de emoção. Ao contrário, se vocês estiverem na vibe, será de intensidade e paixão incríveis. Mais sonolentos e menos falantes, aposte nos olhos nos olhos, nos beijos quentes, nos abraços apertados e se entreguem sem limites. Quando você está relaxada e faz sexo de qualidade, produz mais endorfina, hormônio relacionado ao prazer — ou seja, fica em êxtase por muito mais tempo.

Dê uma rapidinha

A movimentação intensa e sonolenta gera descarga de adrenalina, o que vai intensificar a experiência. E o mais divertido pode ser a cara de surpresa dele. Portanto, programe o “ataque” quando ele menos esperar: na hora em que ele estiver no banho, se vestindo ou preparando o café da manhã. Tenha em mente que você também vai ter que abrir mão das preliminares. Mas não se preocupe: estudos publicados provaram que quando as mulheres ignoram as distrações podem se excitar em 30 segundos. Ou seja, foco “nele”. Uma sessão quente e intensa, ainda que de curta duração, vai deixá-lo alucinado antes de ir para o escritório e louco para voltar para casa depois do trabalho. É um ótimo jeito para manter a paixão acesa.

Garanta a rodada da noite

O sexo pela manhã pode fazer seu parceiro ter muito mais vontade de repetir a dose à noite! Isso porque o próprio sexo dá uma turbinada na produção de testosterona no decorrer do dia, diminuindo a sensação de cansaço e desânimo, principalmente sexual, no período noturno.

Café da Manhã sensual



Se a manhã for preguiçosa e vocês tiverem tempo, reabasteça para a segunda rodada com estas torradas francesas. Leva 10 minutos — suficiente para recarregar as energias, não?

1 Junte 2 xíc. (chá) de morangos com 2 xíc. (chá) de água em uma panela média. Cozinhe em fogo médio, até que os morangos fiquem macios. Dispense a água e reserve.

2 Em uma tigela, bata 3 ovos e 1/2 xíc. (chá) de creme de leite. Mergulhe 4 fatias de pão integral na mistura. Em uma frigideira, em fogo médio, coloque o pão para dourar.

3 Com um misturador, bata 1/2 xíc. (chá) de creme de leite, até ele ficar bem macio.

4 Sirva as torradas com os morangos mornos picadinhos, cobertos com o creme. Para acompanhar, tomem um bom café preto — conhecido estimulador de libido.

Curta a vista

Parte do que faz o sexo matinal ser tão gostoso é a luz do dia. Ok, na claridade é mais difícil esconder seus defeitinhos. Mas deixe suas inseguranças de lado e se entregue ao prazer sem culpa. Em vez de ficar se cobrindo com lençóis, jogue tudo fora e desfrute o visual. Ele vai deleitar-se com seu corpo — e você com o dele! Estudos, mostraram que durante o sexo as mulheres são tão estimuladas pela visão quanto os homens.Sexo é uma atividade sensorial. Portanto, explore todos os seus sentidos.

Solte seu instinto animal

Assim que acordar, chegue próximo ao seu namorado e dê uma fungadinha nele. Como ele ainda não tomou banho, você sentirá mais intensamente seu cheiro natural. De acordo com cientistas da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia, nos EUA, o odor almiscarado da axila masculina é comprovadamente um estimulante da libido. Na boa, você não pode perder essa!

Tente uma posição aconchegante

Como vocês dois estarão meio grogues de sono, experimente uma posição que requeira o mínimo de esforço possível. “Enquanto você está se aconchegando em direção ao peito do seu namorado, entrelace suas pernas com as dele e guie-o para dentro de você”, sugere a terapeuta sexual Jane Greer, As mãos dele estarão livres para tocar seus pontos mais sensíveis.
Instale um chuveiro duplo

Tomar banho juntos é romântico e tudo o mais, mas vamos ser realistas: só tem espaço para uma pessoa por vez embaixo do jato de água. Conserte isso comprando um chuveiro duplo. Depois, regule a temperatura: o calor traz o sangue para a superfície da pele, fazendo-a mais sensível ao toque. Tenha em mãos um sabonete com essências como pimenta ou menta, que fazem seus sentidos despertarem.

Sozinha também vale

Vai que você tenha dormido sozinha ou que ele tenha saído mais cedo — e bem nesse dia você acorde derretendo de vontade. Pelo bem da sua saúde e da sua beleza, se dê prazer — sim, a masturbação também pode trazer alguns dos efeitos positivos de uma boa noite de sexo. Para estimular uma transa a dois mais tarde, você pode enviar uma mensagem contando ao seu parceiro o que fez.. E aproveite para sugerir que tem muito mais esperando por ele...

Fonte de pesquisa: Women's Health e Lulucha

Qual a Diferença Entre: Vírus, Bactérias, Bacilos e Fungos???


Todos são microorganismos: seres invisíveis a olho nu também chamados genericamente de micróbios ou germes. Os dois termos são do século 19, quando a tecnologia disponível ainda não permitia diferenciar um microorganismo de outro. A humanidade, aliás, passou a maior parte de sua história sem fazer idéia de que esses seres existiam.

Apenas no século 17, quando foi aperfeiçoado o microscópio, a ciência pôde finalmente observar criaturas unicelulares em ação – mas só as maiorzinhas, hoje chamadas de protozoários. No final do século 20, quando se tornou possível examinar o material genético dos micróbios, descobriu-se que há maior variedade entre eles do que entre animais e plantas.

Os microbiologistas confessam ser incalculável o número total de espécies somando bactérias, protozoários e vírus aos tipos também microscópicos de fungos e algas. Com essa diversidade toda, os microorganismos foram os únicos seres que se adaptaram a todos os lugares do planeta: estão no ar, no fundo do mar, no subsolo – e dentro de nós. “Existem mais células de bactérias no nosso corpo do que células humanas”, diz o microbiologista Jacyr Pasternak. Geralmente, esses parasitas se aproveitam dos nutrientes de nosso organismo sem causar problemas – e alguns até fazem bem, como certos lactobacilos que evitam infecções. Mas não faltam bactérias altamente perigosas.

 A Yersinia pestis, por exemplo, causou a famosa Peste Negra, que matou um terço da Europa entre 1347 e 1351, sem que se soubesse a causa da doença. Ela só pôde ser descoberta no final do século 19, quando o químico francês Louis Pasteur (1822-1895) demonstrou que as bactérias (qualquer microorganismo unicelular desprovido de núcleo), com sua grande capacidade de contágio, eram as verdadeiras responsáveis por várias doenças. Mas Pasteur também constatou que existiam microorganismos benéficos para a humanidade, ao observar que certos fungos microscópicos, as leveduras, eram responsáveis pela fermentação – ou seja, sem elas não haveria pão, queijo, vinho ou cerveja.

Tão importante quanto o célebre cientista francês foi seu contemporâneo Robert Koch (1843-1910), médico alemão que demonstrou como bactérias específicas causavam doenças igualmente distintas. Em apenas duas décadas (entre 1880 e 1900), o trabalho de Pasteur e Koch lançou as bases de uma nova ciência: a microbiologia, que, ao longo do século do 20, não pararia de revelar criaturas cada vez mais pequeninas. Não demorou para descobrirem que até as bactérias eram infectadas por seres ainda menores: os vírus.

 Por fim, a microbiologia se expandiu além da medicina, revelando que algas do tamanho de bactérias produzem de 30% a 50% do oxigênio que respiramos. “Sem elas, a atmosfera, como a conhecemos, não existiria”, afirma o microbiologista Gabriel Padilla.

Os donos do mundo

Microorganismos ocupam todo o planeta - da atmosfera ao interior do corpo humano

VÍRUS

Dez mil vezes menores que as bactérias, eles não passam de material genético com uma capa de proteína. Alguns cientistas nem os consideram seres vivos, porque não têm metabolismo próprio: usam as células dos organismos que invadem para se reproduzir. Só o vírus da AIDS matou 25 milhões de pessoas nos últimos 20 anos – enquanto o da gripe espanhola eliminou o mesmo número em apenas dois anos (1918-1919). Aliás, os vírus da gripe, como o Influenza da foto, são extremamente difíceis de controlar, por estarem constantemente em mutação

PROTOZOÁRIOS

São unicelulares como as bactérias, mas possuem (assim como as células de plantas e animais) organelas, que ajudam a processar nutrientes e gerar energia, como minúsculos pulmões, estômagos e outros órgãos). Existem protozoários visíveis, de até 2 milímetros. Outros são mil vezes menores. O maior assassino entre microorganismos é um protozoário: o Plasmodium falciparum (na foto, atacando um glóbulo vermelho). Ele causa a malária, que mata 2 milhões de pessoas por ano

BACTÉRIAS

Seres unicelulares que não possuem sequer um núcleo separado por membrana. Depois dos vírus, são as criaturas mais simples que existem, medindo entre 0,5 e cinco milésimos de milímetro. Foram a primeira forma de vida a surgir na Terra, há 3 bilhões de anos. Com tanto tempo de vida, tornaram-se bem resistentes e algumas são inimigas temíveis, como a Neisseria gonorrhoeae (foto), que, sexualmente transmissível, causa a gonorréia, por exemplo. Por outro lado, são as grandes faxineiras do planeta, decompondo plantas e animais mortos.

BACILOS

Esse é o nome dado às bactérias em forma de bastão – enquanto as esféricas são chamadas de cocos e as curvas, de vibriões. Os bacilos ficaram mais famosos por causarem doenças como a tuberculose – cujo agente, Mycobacterium tuberculosis, é mais conhecido como Bacilo de Koch. Recentemente, o Bacillus anthracis (foto), que transmite a letal infecção antraz, ganhou notoriedade como arma bacteriológica na mão de terroristas. Mesmo assim, a grande maioria dos bacilos, como dos outros tipos de bactéria, não é nociva

FUNGOS

A variedade é enorme. Alguns fungos, como os cogumelos, são bem desenvolvidos, mas os que interessam aqui são unicelulares e contêm organelas, como os protozoários. Entre os mais chegados ao ser humano está o Candida albicans, que causa micoses. Já o Penicillium roqueforti serve para fabricar queijos como gorgonzola e, claro, roquefort. Com outro fungo do gênero Penicillium, o notatum (foto), faz-se a penicilina, um os antibióticos que mais salvam vidas

Fonte de pesquisa: Super.Abril

quinta-feira, julho 15

Este Blog Já Ultrapassou 500 Matérias!!!

Alô pessoal do Face, do Twitter, do  Dihitt, dos sites em que agrego minhas notícias, dos meus amigos, gostaria de agradecê-los por estarem ao meu lado sempre. Lendo as minhas matérias, comentando, votando...

Hoje, esse blog já ultrapassou 500 notícias e estou muito feliz com isso, por ter chegado até aqui, por receber elogios de amigos ou anônimos deixando seus comentários aqui. Isto é sinal de que conseguí construir um blog de peso, um blog onde você encontra todo o tipo de postagem, um blog gostoso de ler.

Obrigado a todos que vêm aqui sempre.

Bjus



Lulucha

Sem Compromisso Ok???

Compromisso??? Elas não querem. Namoro??? Nem pensar!!! Enquanto muitas mulheres só pensam em namorar e, com sorte, chegar ao casamento, há mulheres na contramão do altar. Elas têm alergia a comprometimento: só de pensar, dá coceira. Preferem a liberdade, adoram não dever satisfação a ninguém e são craques em aproveitar a solteirice. Quando a carência aperta, topam sexo casual. E, pelo que parece, serão felizes para sempre.

Quer casar comigo??? Não, obrigada. Quem pensa que a felicidade só é possível a dois está redondamente enganado.Uma jovem diz: "Casei-me com a minha solteirice e ela é uma excelente companheira",  confessando que sempre tem um parceiro para um romance casual. "Costumo dizer que ser solteira é um estado de espírito. Apenas não quero me casar. "O que mais posso desejar???", brinca.

TESTE: QUE TIPO DE SOLTEIRA VOCÊ É???
Não é toda mulher que se sente à vontade em uma relação sem compromisso. É preciso estar muito consciente e certa do que se quer. Mel, diz que: a carência tem que ser sexual e não afetiva, momento, está vivendo uma relação sem compromisso com um amigo de infância. "Hoje estou com 32 anos, divorciada e tenho um filho. Não quero nada sério e comecei a sair com esse amigo há 4 meses", conta.

Mel tem outras prioridades além de um relacionamento amoroso. "Tenho minha liberdade, saio com as amigas, tenho um tempo especial para o meu filho, trabalho e, quando estou carente sexualmente, a gente se encontra", revela, dizendo que depois de se curtirem, cada um segue a sua vida, sem dramas. "Quando estou com ele, me entrego. Temos muita afinidade. Namoro não rola porque nenhum dos dois está no momento certo para assumir um relacionamento. Estou feliz e consciente do que faço".

Fonte de pesquisa: MSN e Lulucha

Junkie Food??? This Is It !!!

SALGADINHOS, HAMBÚRGUER, SORVETE... AGORA ESSAS DELICIOSAS TENTAÇÕES PODEM SER BEM MAIS NUTRITIVAS


Você já ouviu a expressão junk food ou comida-porcaria? Em termos nutricionais, ela se refere a alimentos ricos em calorias e gorduras saturadas e pobres em fibras e nutrientes, como vitaminas e sais minerais. Sem falar dos conservantes, aromatizantes e espessantes químicos que normalmente lhes são acrescidos. Enfim, é junk food boa parte da comida industrializada que a gente está habituado a consumir.

O problema da comida tipo junk food é que ela é bonita e apetitosa. Dá vontade de comer, e muito. Já a comida mais natural, se não for bem caprichada na apresentação e nos temperos, pode não agradar. Por isso mesmo é que a grande indústria e também pequenas empresas de alimentação e alguns restaurantes naturais resolveram apostar numa comida saudável com aspecto de junk food. Isto é, uma forma bem sacada de aliar o útil ao agradável.

O resultado você já pode ver na prateleira dos supermercados. Chip assado em vez de frito, snack (salgadinho) integral de queijo, nugget assado de soja, molho de tomate orgânico, milk-shake de soja em envelopes, hambúrguer de tofu pronto, patê de soja com azeitonas ou ervas e por aí vai. O próprio Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP, sob orientação do professor José Alfredo Arêas, desenvolveu receitas de salgadinhos para a criançada levar no lanche que suprem a maioria das vitaminas de que elas precisam diariamente. A massa dos snacks, por exemplo, é feita com base no amaranto, rico cereal de origem andina. Os produtos só estão à espera de uma empresa que se disponha a fabricá-los e comercializá-los. No Nordeste, a Embrapa Tropical também pesquisa o hambúrguer e a casquinha de siri feitos com polpa de caju.

Parece, mas não é

O nutricionista George Guimarães, dono do restaurante Vegethus, em São Paulo, resolveu criar, há quatro anos, a Balada Junk Food Saudável. Vegetarianos e não-vegetarianos adoram a inovação das receitas desse evento gastronômico. Pois o problema não é comer um bolinho de proteínas com molho, alface e tomate entre duas fatias de pão com gergelim. O perigo é quando as proteínas vêm de uma carne gordurosa e cheia de toxinas, a alface e o tomate estão repletos de agrotóxicos, o molho é preparado com conservantes e aromatizantes artificiais e o pão, feito com farinha excessivamente refinada. Se a proteína for vegetal, as verduras orgânicas, o pão integral e o molho feito com ingredientes naturais, não há problema algum, diz George. Ainda mais se o sanduíche for uma delícia.

Não há grande diferença entre comer um sanduíche supercalórico feito com um hambúguer e almoçar um prato de arroz branco, feijão, carne seca frita e farinha. Tal como junk food de origem norte-americana, esse tipo mais nacional do gênero contribui igualmente para o surgimento da obesidade e da hipertensão. Da mesma forma, uma alimentaçãosaudável pode ter tanto uma aparência de comida da vovó como de comida de lanchonete. O importante é que ela possa nutrir o organismo sem prejudicar a saúde dos órgãos e vasos sanguíneos, diz Glaucia Padovan, nutricionista da Mundo Verde, rede de lojas onde são vendidos alguns exemplares de junk food saudável, como pipoca de canjica com sal marinho e doces de leite preparados à base de soja e sem açúcar.

Segundo um estudo realizado em 2001 pela Mintel, empresa de pesquisas dos Estados Unidos, pelo menos 14% dos americanos se alimentavam quase que exclusivamente em redes de comida rápida. E essa tendência é mundial. Os mais afetados por essa alimentação de má qualidade são as crianças e jovens. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 177 milhões de crianças em todo o mundo estão ameaçadas por doenças ligadas à obesidade.E poderão morrer antes mesmo do que os pais. Essa junk food é um veneno para o fígado podendo provocar até uma cirrose.

Que tal transformar alimentos aparentemente pouco nutritivos misturando ingredientes saudáveis à receita?

Deliciosos e disfarçados

Outra opção é preparar a junk saudável em casa, como descobriu Jessica Seinfeld, mulher do comediante norte-americano Jerry Seinfeld. Cansada de tentar fazer com que seus filhos comessem frutas e verduras, certa vez ela misturou um purê de abóbora ao costumeiro macarrão da garotada. Todos se deliciaram, sem nem perceber a artimanha da mãe. A experiência levou a outras receitas, igualmente bem-sucedidas, e ela acabou lançando o livro Deliciosos e Disfarçados, em que ensina alguns truques para que pais transformem alimentos aparentemente pouco nutritivos, como panquecas e tortas, em saudáveis. E sem que seus filhos percebam.

É interessante porque revela que sempre se pode aumentar a qualidade da alimentação, independentemente da nossa cultura alimentar ou dos nossos filhos. E comer saudavelmente não é só empanturrar-se de biscoitinhos integrais e se esquecer de comer frutas, legumes e verduras. O corpo precisa de uma quantidade recomendada de nutrientes. Portanto, o termo certo é alimentação saudável, e não alimento saudável, de uma forma isolada, diz a nutricionista Glaucia Padovan. E há quem vá mais longe ainda. Para considerar um alimento saudável, deve-se analisar todo o ciclo do seu processo de produção, desde a semente, explica Gerhard Dannapel, diretor da Tofutura, indústria que produz hambúrgueres à base de soja e tofu.

Mantendo essas ressalvas em mente, nada nos impede de comer, sem culpa, um combinado de fibras, vitaminas e sais minerais com aparência de sanduíche de padaria ou salgado de botequim.

Fonte de pesquisa: Ed. Abril e Lulucha

quarta-feira, julho 14

Anestesia Porque Temos Tanto Medo???

Sempre que marcamos uma cirurgia, qualquer cirurgia, a coisa que mais nos preocupa é a anestesia. Porque será que tememos tanto essa picada??? 

O principal papel da anestesia é fazer com que o paciente fique inconsciente, sem dor e sem reação às manobras do cirurgião durante a cirurgia. Mas mesmo com tantos benefícios, ela ainda é fonte de muito medo e ansiedade para a maior parte das pessoas.

Não é raro encontrar alguém que adia a plástica com receio da anestesia. Mas afinal, porque ela provoca tanto medo? Tudo vem lá de trás, de um tempo em que não eram usadas drogas muito seguras e não havia tantos parâmetros de monitoramento durante a cirurgia. Atualmente, isso não passa de mito, já que, como tudo na Medicina, a anestesia evoluiu, os profissionais estão mais especializados e o procedimento, como um todo, mais seguro.

É fato que os problemas ocorrem mais frequentemente na indução e no despertar. Na indução da anestesia, antes da cirurgia, podem ocorrer reações anafiláticas a algumas drogas, podendo ser revertidas ou não. Já no despertar, dependendo do perfil do paciente, podem surgir complicações. Quem fuma, por exemplo, tem uma quantidade enorme de secreção que pode provocar engasgo.

Diante de tudo isso, surge a recomendação: lembre-se de não esconder nada do seu cirurgião plástico e anestesista. Informe os profissionais sobre acidentes de anestesia ocorridos com familiares, alergia a determinados medicamentos e nunca esconda o uso de drogas, porque algumas delas interagem com anestésicos e os resultados podem ser catastróficos.

Sintomas normais

Ao acordar da anestesia, alguns sintomas são bastante comuns. O mais frequente deles é o frio, pois a pessoa perde calor para o meio em que se encontra – neste caso, uma sala cirúrgica com ar condicionado ligado e, assim, bastante fria. Também é comum vomitar. Isso acontece tanto por sensibilidade quanto por uso de analgésicos potentes, como morfina e seus derivados, que causam náuseas e vômitos em grande parte da população.

Nesse período, pós-anestesia, é importante relatar aos profissionais tudo o que estiver sentindo, mesmo que pareça normal ou pouco relevante, para que ele tenha o controle do seu quadro. E não hesite em perguntar e questionar tudo o que quiser.

Conheça seu ANESTESISTA

Assim como você senta em consulta com seu cirurgião plástico, é indispensável encontrar o anestesista antes de passar pela cirurgia. É nessa hora que você vai tirar todas as dúvidas, passar seu histórico e receber as orientações necessárias, como fazer jejum e manter ou suspender medicamentos.

Ao conhecer o perfil e diagnosticar o grau de ansiedade em relação à anestesia, o profissional pode receitar remédios no pré-operatório e também administrar uma medicação pré-anestésica, para que o paciente já chegue dormindo e não lembre sequer de ter entrado na sala de cirurgia. Aos poucos, a maioria dos pacientes se acalmam e relaxam.

Fonte de pesquisa: Procorpoplastica.com


ANESTESIA EM TRATAMENTOS DENTÁRIOS: POR QUE TANTO MEDO?
Essa picadinha neste local, é a pior de todas....
Boa parte dos pacientes que precisa de tratamento odontológico tem medo de ser anestesiado. Afinal, por que a anestesia causa tanto receio? Para os dentistas há algumas razões que levam as pessoas a sentirem desconforto diante desta situação. Em primeiro lugar, isso acontece pelo fato de o medicamento ser injetável e poucas pessoas superam o temor infantil da famigerada injeção. Depois, trata-se de uma substância química que pode causar reação alérgica e esse fato, por ser conhecido, assusta quem não tem conhecimento médico.

A anestesia, entretanto, é um recurso seguro, necessário e eficiente no tratamento odontológico. É infiltrado um medicamento por meio da injeção para tirar momentaneamente a sensibilidade de uma região da boca e poder tratar um ou vários dentes. Também é possível recorrer a ela para descobrir em qual dente o paciente sente dor, já que é comum ele se queixar que não sabe onde exatamente está o problema. Existem basicamente dois tipos de anestésicos, que são usados conforme a região que se quer anestesiar.

Há casos em que o paciente não deve ser anestesiado. Quem possui hipertensão arterial, alergias diversas, histórico cardíaco ou vascular dignos de cuidados, é recém-transplantado, tem histórico de acidente vascular cerebral, está grávida ou desconfia de algum problema de saúde não deve ser anestesiado. Por isso, é importante avaliar cada pessoa individualmente antes do procedimento odontológico. Usuários de drogas também não podem receber anestesia.

Todos os dentistas passam por disciplinas na universidade que ensinam a lidar com a anestesia, portanto, os riscos são reduzidos ao menor índice possível. Tomando os cuidados necessários e havendo um bom diálogo entre o dentista e seu paciente, crianças, adultos e idosos receberão anestesia adequada e doses coerentes com suas condições físicas, podendo usufruir de um tratamento confortável e minimamente invasivo. Mas que a picada doi, isso doi, talvez até mais do que o tratamento em sí, pois conforme a localização que a anestesia for aplicada as picadas ficam doendo por dias.

ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS:

Ortodontia: A Ortodontia é uma especialidade da Odontologia que cuida da prevenção e do tratamento dos problemas dos dentes em má posição nas arcadas dentárias, por meio do uso de aparelhos ortodônticos. O motivo que leva o paciente ao uso de aparelho de correção nem sempre é de ordem estética; também pode ser de saúde.

Clínica Geral: Um clínico geral atua em todas as especialidades, de modo especial em Dentística e Prevenção. A Dentística Restauradora é a especialidade que restaura os dentes a partir de materiais manipulados em consultório. Seu objetivo principal é restabelecer a forma, função e estética perdidas. A significativa evolução dos instrumentais e materiais odontológicos levou gradativamente à substituição dos processos artesanais, dolorosos e agressivos. Tal fato permitiu a permuta do amálgama por resinas compostas fotopolimerizáveis de última geração.

Endodontia: É o tratamento e remoção do tecido vivo do dente, localizado na câmara pulpar: a polpa dentária. Esta é atingida geralmente por um processo de cárie, e, quando removida, é substituída por uma pasta obturadora.

Periodontia: A Periodontia trata dos assuntos relacionados ao periodonto, que é composto pelas gengivas, pelo osso de suporte (onde o dente se encaixa na maxila e na mandíbula), pelas fibras periodontais, que ligam o dente ao osso e dão suporte às gengivas. No início da sua existência como especialidade, a Periodontia contava somente com instrumentos manuais grosseiros para raspagem, no entanto, ela se desenvolveu com o uso de instrumentais, dispositivos e aparelhos como o ultrassom e jato de bicarbonato.

Cirurgia Oral Menor: É o tratamento cirúrgico de algumas anomalias existentes na boca. São cirurgias simples realizadas no consultório, que exigem anestesia local, como extrações, remoção cirúrgica do freio labial superior e/ou freio lingual inferior, remoção de cistos, biópsias na cavidade oral, cirurgias bucais de pequeno porte e pequenas correções ósseas.

Odontopediatria: A Odontopediatria é a especialidade que trata de crianças e adolescentes, que cresceu e se modernizou, aliando-se com a psicologia para melhor atender e lidar com o comportamento infantil, proporcionando tratamentos cada vez menos traumáticos e mais agradáveis às crianças, buscando manter sadios, funcionais e bonitos os elementos dentários decíduos ou temporários, até o momento da sua substituição natural.

Prótese: O tratamento de prótese tem como objetivo substituir um dente ou um conjunto deles, perdidos ou ausentes, por dentes artificiais. Existem vários tipos de prótese, confeccionados em diversos materiais.

Implantodontia: Implante dental é a colocação de um cilindro dentro do osso para substituir uma raiz perdida. Sobre esse parafuso é colocado um dente artificial (prótese). A opção por implante é do paciente, mas deve ser orientada pelo seu dentista.

Radiologia Odontológica: É o conjunto de técnicas que possibilitam uma visão dos elementos dentais e tecidos ósseos, proporcionando uma visão abrangente do paciente e permitindo um exame com maior detalhamento.

Fonte de pesquisa: Rio Total.com e Lulucha

Ter Uma Pele Boa Não É de Graça

Uma pele boa não é de graça – deve ser conquistada e, a qualquer descuido, ela pode ficar contra você, enchendo-se de manchas e espinhas. E por mais que se fale muito sobre o assunto, a revista ”Allure” fez questão de listar 17 péssimos hábitos que as pessoas desenvolvem no dia-a-dia – e destroem o sonho da pele de porcelana. Diga aí, em quais deles você se encaixa???


1. Pular o uso de protetor solar: todo mundo sabe que precisa, mas muitas vezes sai de casa sem um pingo de proteção!

2. Fumar: estudos comprovam que a cada década um fumante envelhece o equivalente a 2,5 anos – e ganha bem mais rugas do que alguém que não fuma.

3. Beber demais: não precisa de rehab, é só segurar a onda porque o álcool provoca flacidez.

4. Escolher os produtos errados: sua pele é oleosa, sensível, mista ou seca? Não sabe? Então procure saber antes de comprar seus cosméticos!

5. Ignorar seu pescoço e colo: a maioria das pessoas pára os cuidados no queixo e esquece que essas áreas do corpo ficam tão expostas quanto o rosto. E esticar as rugas do rosto é muito mais fácil do que dar um jeito nas do pescoço!

6. Não dar importância às pintas: pintas podem causar câncer de pele, por isso é bom ficar sempre atento e observar com um médico em caso de mudanças de coloração e tamanho.

7. Usar pincéis sujos: deu preguiça de lavar os pincéis? Lembre que você pode evitar uma infecção por bactérias.

8. Falar muito ao telefone: dá espinha! Está em choque? Nós também! Mesmo que o telefone esteja limpo, a fricção da pele com o aparelho pode causar as temidas inflamações. A melhor solução pra quem não larga o telefone é usar um fone de ouvido pra papear.

9. Excesso de esfoliação: não adianta encher a pele de produtos abrasivos e esfoliar as células diariamente – troque a freqüência pra 3 vezes por semana. O excesso pode acabar estimulando a produção de oleosidade e propagar as bactérias, causando ainda mais espinhas.

10. Ficar acordado até tarde: é durante o sono que o corpo repara os danos do decorrer do dia. Privá-lo disso diminui a troca de células, podendo causar acne, eczema e psoríase.

11. Não lavar o rosto à noite: se a primeira coisa que você quer fazer quando chega tarde em casa é se jogar na cama, pense duas vezes. Deixar restos de maquiagem e dormir sem lavar o rosto mesmo sem produto nenhum na pele obstrui os poros.

12. Comer junkie food: essa vale pra uma pele linda – e para sua vida. Precisa mesmo explicar?

13. Negligenciar seus olhos: a pele dessa área é supersensível, mas você não lembra disso quando esfrega os olhos sem o menor dó. Tome cuidado e use cremes especiais pra essa região.

14. Espremer espinhas: além de marcar a pele, aprofunda as bactérias da superfície pro interior da epiderme. Quando estiver diante da tentação, pegue um secativo correndo!

15. Pular a academia: exercício físico estimula a circulação de sangue pra pele, melhorando a aparência e diminuindo a tensão.

16. Bronzeamento: a pele reage ao sol produzindo melanina, que escurece as células e pode causar manchas e câncer, além de envelhecimento precoce. Com cama de bronzeamento artificial, o resultado é ainda pior. Se você é adepto, mude pro autobronzeador, uma opção menos pior!

17. Encher a pele de produtos: não adianta gastar todo o seu salário na farmácia, comprando cremes que prometem a pele perfeita. É preciso de indicação de um dermatologista pra não usar produtos com ingredientes que anulem a ação um do outro.

Super correto e eu assino embaixo.

Fonte de pesquisa: MSN

segunda-feira, julho 12

Reaprender a Namorar

Reaprender a namorar depois da separação é o desejo de muitas mulheres que ficaram anos e anos vivendo com o mesmo homem e já não têm paciência para joguinhos amorosos. Como dar a volta por cima, se deixar envolver ou partir para a conquista depois do trauma de um casamento desfeito é um aprendizado.

Há um livro muito interessante sobre esse assunto chamado “De Volta ao Mercado - reaprendendo a namorar depois da separação”, que trata de um jeito otimista o modo de encarar o medo, a ansiedade, crises e desesperanças típicas do período.

Um dos conceitos tratado pelo livro é o “healing relationship”, ou seja, o relacionamento de transição, que serve para curar as feridas antigas. Há um capítulo sobre namoro na Internet, dicas sobre onde encontrar alguém com interesses semelhantes, como lidar com a rejeição e com os filhos do parceiro e os seus e, até o que dizer em uma primeira aproximação.

A autora do livro, Laurie Helgoe, é uma conhecida “dating coach” dos Estados Unidos. Ela é uma, digamos assim, treinadora amorosa, que ajuda os clientes a enxergar o que fazem de errado em seus relacionamentos.

Não há idade limite para procurar um novo par, do desejo sexual à necessidade de companhia, essa busca é legítima, mesmo para quem perdeu a prática!

Fonte de pesquisa: Vila 2

Tweet Me

Sei que com esta reportagem estarei indo de encontro a tudo que mencionei na matéria "Até que ponto as redes sociais nos fazem bem ou mal???", publicada na semana passada.

Eis que a ciência aparece para explicar por que tem gente que ama passar tanto tempo no Twitter e nas redes sociais. O pesquisador Paul J. Zak, professor da Claremont Graduate University (EUA), descobriu que uma simples troca de tweets ou um amigo curtindo nosso status no Facebook pode aumentar nossos níveis de oxitocina, conhecida como “hormônio do amor” (ela estimula sentimentos como empatia, generosidade e confiança, e tem altas quando estamos apaixonados).

A cobaia foi o jornalista Adam Penenberg (que conta a experiência toda aqui). Ele cedeu amostras de sangue antes e depois de passar 10 minutos batendo papo no Twitter. Nesse tempinho, seu nível de oxitocina subiu 13%. (Para se ter uma ideia, uma alta equivalente à observada em um noivo prestes a subir no altar.) E nem é só isso: seus níveis de cortisol e ACTH, hormônios ligados ao estresse, caíram 11% e 15%, respectivamente.

Isso leva a crer que o cérebro percebe o tempo que “perdemos” no Twitter e no Facebook, por exemplo, como se estivéssemos interagindo diretamente com pessoas queridas. E aí libera a oxitocina, que dá um pouquinho daquele “barato” que a gente sente quando se apaixona. Sem falar que, ao suavizar os hormônios do estresse, derruba também o risco de problemas cardiovasculares, como infartos e derrames. Ou seja: tuitar é bom para o coração em todos os sentidos. Justamente a desculpa que você precisava para procrastinar sem culpa, né?

Fonte de pesquisa: Super Abril e Lulucha

E Não É Que o Polvo Acertou de Novo???


Polvo "profeta" trai Alemanha e prevê vitória espanhola na semi-final.


Polvo, que acertou o resultado de todas as partidas da Alemanha na Copa, agora confia na Espanha

Desta vez Paul, o polvo vidente de um aquário alemão, não está favorável a sua seleção. Conhecido na Copa do Mundo por "prever" os resultados dos jogos da seleção alemã, o "oráculo" decidiu que a vencedora da semifinal será a Espanha.

Até agora Paul acertou todos os resultados da seleção de Joachin Löw, inclusive a derrota para a Sérvia, ainda na primeira fase da Copa do Mundo. Nos outros confrontos, apostou em vitória germânica sobre Austrália, Gana, Inglaterra e Argentina.

A previsão é feita da seguinte maneira: são colocados dentro do aquário dois recipientes com alimento na mesma quantidade, cada um com uma bandeira de uma equipe. O time que tiver o recipiente escolhido pelo polvo corresponde ao vencedor da partida.

O confronto entre Alemanha e Espanha será realizado nesta quarta-feira, às 15h30 (de Brasília), em Durban. O encontro repetirá a final da Eurocopa de 2008, quando Fernando Torres levou seu país à vitória ao marcar o gol da vitória por 1 a 0.

Embora admita que a decisão de Paul seja um "mau presságio" de olho na semifinal da Copa, o tablóide alemão Bild segue esperançoso de que a previsão não será concretizada. Isso porque na Eurocopa a participação do polvo só foi solicitada em uma partida - exatamente na decisão contra a Espanha - e o palpite estava errado, já que indicava o título para a Alemanha.

Fonte de pesquisa: Terra.com