sábado, janeiro 30

Poderá o Ser Humano ser Imortal???

Achei este artigo um tanto interessante e nada impossível, pois para o homem hoje em dia nada mais é impossível. Estima-se que daqui 30 ou 50 anos, com toda essa parafernália de remédios e com o avanço da tecnologia os seres humanos poderão ser imortais e saudáveis.

A princípio você pensará: Ah, isso só acontece em filmes de ficção científica. Qual nada!!! Saiba que a evolução do sonho da vida eterna está mais próxima da realidade do que se imagina. A vida consiste em três etapas fundamentais: nascimento, vivência (desenvolvimento e reprodução para a preservação da espécie) e morte. O humano é o único dos seres vivos que sempre questionou sua própria existência e, consequentemente, a morte.

Pode-se dizer que a imortalidade é um conceito ambíguo, uma vez que muitas pessoas consideram que se atinge a imortalidade ao ser perpetuado na História, por exemplo como responsável por grandes feitos políticos, sociais, artísticos, entre outros. Já em outro entendimento acerca do mesmo conceito, trata-se de vencer a morte literalmente, ou seja, existir fisicamente pela eternidade e não apenas em memória e ainda do jeito que se quer.

Sabemos que a morte sempre foi um tabu para a humanidade e diferentes culturas concebem este fenômeno da vida de maneiras bem características.

Essa questão fascina o homem desde o Egito Antigo. Os egípcios acreditavam que era necessário conservar o corpo do defunto para dar suporte à alma durante sua jornada rumo à vida eterna. Tanto é verdade que o corpo dos faraós era submetido a diversos rituais religiosos — que visavam a conceder sorte e proteção ao faraó — e procedimentos médicos para retardar o processo de decomposição do corpo.

Essas técnicas são, na atualidade, consideradas rudimentares, mas que contribuíram para a evolução da Medicina e da Anatomia, áreas em constante aprimoramento que dentro dos seus principais objetivos está a preservação da vida, pelo maior tempo possível.

Junto às ciências médicas e com a mesma finalidade de postergação da morte, estão as diversas áreas tecnológicas, como, por exemplo, a nanotecnologia e a robótica.

Humanos eletrônicos O marca-passo é um aparelho eletrônico que possui o objetivo de regular os batimentos cardíacos através de impulsos elétricos. Sabemos que o dispositivo ajuda a salvar inúmeras vidas de pessoas com problemas cardíacos. Imagine se a mesma lógica do marca-passo, ou seja, utilizar estímulos elétricos para auxiliar no funcionamento de determinado órgão, fosse adaptada para outros órgãos?

No campo da robótica, o desenvolvimento de membros mecânicos — as chamadas próteses — para pessoas que tiveram algum membro amputado já não é mais uma novidade, assim como a utilização de robôs-cirurgiões com precisão milimétrica em microcirurgias. Entretanto, se pararmos para analisar, os robôs mais recentes não são criados exclusivamente para auxiliar nas atividades humanas, mas também são programados com a finalidade de imitar a própria vida humana.

O ano passado ocorreu, em Curitiba, a maior feira de tecnologia da América do Sul, a Robotec Fair 2009. A feira de robótica reuniu curiosos e amantes de tecnologia interessados em conhecer os projetos de diversas instituições de ensino e empresas. Sem dúvida alguma a atração eleita como a mais interessante pelos visitantes foi a Actroid, da Kokoro, empresa do grupo Sanrio.

A robô, réplica de uma mulher japonesa, é considerada a representação mais próxima do ser humano até hoje. Além das características físicas, a Actroid é capaz de reproduzir de maneira convincente movimentos e expressões típicas do homem enquanto responde ao público uma das 600 frases já programadas, mesmo que sejam um tanto limitados e não naturais.

O que se pretende com isso? Imortalizar a raça humana? Se sim, seria o robô um exemplar da raça humana? Se levarmos em consideração as pesquisas quanto à possibilidade de transformar toda a informação contida no nosso cérebro (sejam habilidades, lembranças, gostos ou sentimentos) em dados que possam ser lidos por máquinas, estas poderão até ser consideradas como os meios de as pessoas alcançarem a imortalidade. Isso se você acreditar que o ser humano é somente a sua racionalidade, o que pode ser contestado por diversas religiões, que consideram a alma como a verdadeira essência do homem.

Produção de órgãos sintéticos Não é necessário discorrer sobre como a tecnologia evoluiu a favor da medicina ao longo das décadas e como isso contribuiu para a qualidade de vida das pessoas. Hoje em dia, vacinas e remédios são tratamentos extremamente comuns no combate de doenças, mas que levaram anos para serem descobertos. Agora imagine o quanto tempo demorou para aprimorarem-se as transfusões de sangue e transplantações de órgãos.

A primeira cirurgia de transplante foi registrada em 1954, na cidade de Boston, Estados Unidos, quando o médico Joseph E. Murray fez o implante de rim entre dois gêmeos idênticos. No Brasil, o primeiro transplante foi realizado em 1964, no Rio de Janeiro. Apesar dos dez anos de distância entre essas datas, o Brasil ocupa a segunda posição no ranking de países com maior número de transplantes por ano, ficando atrás da terra do Tio Sam.

O auxílio prestado pelo SUS (Sistema Único de Saúde) quanto aos custos da operação contribui para o aumento de transplantações. Isso porque o Sistema é responsável pelo financiamento de 86% das cirurgias do gênero, ou seja, doador e receptor não precisam pagar pelos custos médicos. O número deve aumentar com as novas regras do Sistema Nacional de Transplantes, que passará a financiar também os transplantes de pele.

Mesmo com os investimentos na área, são mais de 60 mil pessoas esperando na fila por um transplante. O risco de rejeição é alto porque o sistema imunológico é capaz de distinguir, através de proteínas, sangue e tecidos do organismo dos corpos estranhos que possam vir a causar malefícios. O sistema produz anticorpos para combater o novo órgão caso o identifique como nocivo.

Entretanto, uma tecnologia que pode ser considerada uma grande esperança para os transplantes e, consequentemente, para a obtenção da vida eterna é a produção de órgãos sintéticos dentro de laboratórios. Isso já é uma realidade considerando que é possível atualmente produzir, por exemplo, um pâncreas humano para a produção de insulina.

  • E você, gostaria de viver para todo o sempre. Amém???

Fonte de pesquisa: Google / Lulucha

quinta-feira, janeiro 28

Verão, Sol, Calor e Praia... Cuidado!!!

Verão, sol, calor, praia! O que lhe vem a cabeça??? Um belo banho de mar, depois tomar um sol, beber um suco ou até mesmo uma caipiroska... E naturalmente, as comidinhas que passam sem parar na nossa frente abrindo-nos o apetite. Ficar muitas horas tomando sol e principalmente curtindo o mar dá uma baita fome, e assim fica difícil resistir ao que costuma ser vendido na praia. Mas é possível fazer escolhas que irão matar sua fome, não irão te dar gastrite e o melhor, não vão te prejudicar no seu trato com a balança.

Veja a seguir alimentos que você deve ter atenção com o consumo, os que você pode consumir e os que você deve evitar.

Fuja! Amendoim - Este grãozinho possui enormes quantidades de calorias, só para você ter uma idéia: 1 xícara por exemplo tem em média 500kcal! E com certeza na praia, batendo papo você come essa quantidade facinho. Camarão frito - Por ser frito seu teor calórico aumenta muito, além disso é um alimento que pode estragar facilmente, principalmente na praia, com sol, é um perigo para se pegar uma intoxicação alimentar. Pastel e Acarajé - Dependendo do recheio e do tamanho, a quantidade de calorias é absurda. Outro ponto desfavorável é a questão do óleo em que foi frito, pois muitas vezes é muito reutilizado, passando por altas temperaturas, no qual produz substâncias prejudiciais à saúde. Cerveja e caipirinha - O álcool presente pode contribuir para uma desidratação, além das calorias também serem elevadas.Atenção! Sorvete - Evite os sabores de chocolate, pois podem ser bem calóricos, prefira os picolés de frutas, aí sim é uma boa pedida para se refrescar. Inclusive agora com os zero% de açucar e gordura, ficou mais fácil ainda. Refrigerante - Se a opção para substituir a bebida alcoólica for o refrigerante é uma boa escolha, será melhor, mas opte pelas versões diet e light que não fornece calorias. Lave bem as latinhas antes de abrir. Queijo coalho - Muito cuidado! Os queijos não podem ficar muito tempo sem refrigeração, pois as chances de contaminação são enormes. Consuma somente se você souber a procedência e confiar na higiene do ambulante. Raspadinha - Também é importante saber a procedência do gelo, um copo de raspadinha pode ter em média 150kcal.

Siga em frente! Milho - Ótima opção, nutritivo, tem poucas calorias, mas dispense a manteiga e não exagere no sal. Frutas- Fresquinhas, suculentas, fonte de vitaminas e minerais, outra opção excelente, leve de casa higienizadas e em recipientes térmicos. Biscoito de polvilho - Por ser um produto industrializado, o risco de contaminação é menor, por isso torna-se uma boa opção, mas cuidado com a quantidade. Pois vamos combinar que é uma delícia!!! Água de coco - Quer um lugar melhor para tomar água de coco do que na praia? Pois bem, esta bebida hidrata, é um isotônico natural, repõe vitaminas e minerais e refresca. Apenas escolha uma barraquinha de sua confiança.

Com essas dicas todas, acho que o seu carnaval na praia será muito prazeroso e muito proveitoso também.

Fonte de pesquisa: Cyber Diet Nutricional / Lulucha