segunda-feira, agosto 24

As Quatro Estações

  • Primavera, tempo das flores...É tempo de florescer...De brotar...De nascer...Tudo fica uma pintura...Cheia de cores...Flores.
  • A brisa nos faz delirar...De tanto querer...O ritmo entre nós...É tão perfeito... como o ar que entra e sai...É puro e certo...E intransponível...
  • Tudo depende de mim...De tí...De nós...Do que é vontade...Simples...E humana...E tudo é grande, claro, e perfeito...
  • Só me restringe a consciência...De ser quem sou...De me saber...E me desperta...Junto e diversa...
  • De tudo isso...Que vive...Na sua grandeza inconsciênte e harmoniosa...

  • O Verão é amor, é ardor, é paixão...
  • De se querer...Sempre querendo mais...Tudo fica à flor da pele...
  • Tudo é tão real...Tão natural...Tão transparente...
  • Quente...
  • Dormente...
  • Qual razão de complicar a natureza?
  • Deixe-a seguir seu rumo...Seu curso...Seu ritmo...
  • Adormecido...O vento sopra calmo...
  • O verão é pele...
  • É sensualidade saindo dos poros...Ficamos mais sensíveis ao toque...
  • O desejo aumenta...E atinge o clímax de repente...

  • No Outono as folhas secas...Começam a cair...As árvores ficam nuas...
  • E mais ausentes...Seus galhos secos...Precisam ser regados com frequencia de querer, de ter...Um puro prazer...Como se isso fosse um bem-querer...
  • Um pouco menos...Um pouco mais...
  • O outono...É assim como o ar...Que não tem cheiro...O ar que não muda...Embora mude sempre...
  • Alegria que fica...Sob o manto do inverno...Que se inicia...

  • O Inverno chega...E traz consigo aquele gostinho...De quero mais...
  • De amar mais...De se dar mais...De aconchegar-se mais...
  • De tudo mais...O aquecimento global...Fica por conta da nossa essência...Do nosso querer...Que aquecendo...Mais vontade nos dá...De aquecer...
  • De não querer, parar jamais...A um ponto de ser...Inatingível...
  • O sentido de estar...De amar...De ser...Um só ser...Inesquecível...
  • Sonhamos o que vemos?
  • Ou somos nós o sonho...Do que não vemos?
  • Não vivo, sou vivida...
  • O que arde e o que não arde...
  • O amor e não-amor...Estão unidos...Como coração e lua...
  • E o que me escapa...
  • É o que é sentido...

Por Marly de Oliveira/ Lulucha

Um comentário:

Rosana Ibanez disse...

Adorei o poema! muito verdadeiro!
Adoro a primavera. Não é calor e nem frio e o colorido das flores enfeitam os jardins e parques por onde passamos, nesse minha cidade de tanta poluição.
bjs