quarta-feira, fevereiro 3

Porque o Champagne Embriaga Mais Que o Vinho?

O champagne como todos sabem, é um vinho espumante criado na região de Champagne na França. Por ser muito leve, embriaga mais que o vinho, pois, graças às borbulhas, o álcool penetra rapidamente na corrente sangüínea.

Além das borbulhas gazozas que ajudam a penetração do alcool na corrente sanguinea, devido ao sabor adocicado da champagne, quase sempre a quantidade ingerida é maior causando uma graduação alcoólica maior no organismo.

O champagne é também considerado, uma bebida feminina, suave, aveludado, adocicado e muito sensual. Por esse motivo, quando as pessoas casavam-se antigamente (virgens), havia sempre uma garrafa de champagne no quarto dos noivos para que a noiva se desinibisse.

As ações benéficas desta bebida são muitas por exemplo: é indicada para má digestão, reumatismos, como diurético, estimulante, anti-séptico, etc... Outros fatores que comprovam os benefícios dessa deliciosa bebida são: estimulante do apetite, melhora a digestão, aumenta a produção de enzimas digestivas na boca, estômago e duodeno (porção inicial do intestino).

A sua ação diurética associada a quantidades significativas de potássio e magnésio é muito interessante em uma série de situações clínicas. O efeito anti-reumático ocorre porque substâncias do espumante inibem a ciclo-oxigenase, enzima que desencadeia o processo inflamatório. A serotonina é um neurotransmissor que está diminuído no cérebro das pessoas com depressão. A tiramina, que existe em grande quantidade nos vinhos espumantes, é a substância precursora da serotonina. Este é o provável mecanismo do efeito antidepressivo dessa bebida.

O aumento significativo de serotonina e dopamina (o hormônio da paixão!) no sangue de pessoas que beberam champanhe.O espumante também tem muito N-acetil-etanol-amina, substância que age estimulando o sistema límbico, no cérebro, onde está o centro do prazer e da sexualidade. Este neurotransmissor mais a dopamina são, possivelmente, os principais responsáveis por esta nobre bebida ser o afrodisíaco mais usado atualmente. Renomados médicos dessa época a indicavam para má digestão, reumatismos, como diurético, anti-séptico e estimulante, para alegrar o espírito e fortalecer o corpo.

A sua ação diurética associada a quantidades significativas de potássio e magnésio é muito interessante em uma série de situações clínicas. O efeito anti-reumático ocorre porque substâncias do espumante inibem a ciclo-oxigenase, enzima que desencadeia o processo inflamatório.

Os vinhos espumantes têm uma quantidade apreciável deles. Por isso os efeitos dos polifenóis para a saúde também têm sido encontrados na champanhe.

Estudos feitos, encontraram um potente efeito protetor para células do cérebro de ratos tratados com extrato de vinho espumante. Este estudo, que teve grande repercussão no meio científico, é muito promissor. Num futuro próximo poderemos ter comprovação de outros importantes efeitos benéficos dos espumantes.

Como já dissemos, a presença de gás carbônico na bebida faz com que a absorção do álcool seja mais rápida. É por isso que vinhos espumantes, mesmo com baixa graduação alcoólica (exemplo: tipo Asti), ‘pegam’ mais fácil. É preciso ter cuidado com isso. Ao levantarmos uma taça de vinho espumante e brindarmos“Saúde!”, estamos expressando uma verdade e não apenas manifestando um desejo.

Fonte de pesquisa: Nova.abril / Lulucha

Um comentário:

blogsergiochristino disse...

O champagne sempre soube que embriagava mais por causa dos gases ou como chamamos espumante,mas não acredito ser uma bebida feminina, pois já tive um pequeno porre com champagne nunca tive até hoje uma ressaca tão grande como aquela, e olha que já bebi muito vinho e cerveja, mas nada igual ao champagne.Abraço...
Parabéns pelo Post