quinta-feira, maio 13

Como Funcionam os Implantes Dentarios???

O que são implantes dentários?

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.

Como funcionam os implantes dentários?
Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Dentaduras parciais e próteses montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação ou a fala. Esta segurança ajuda as dentaduras parciais e pontes, assim como coroas individuais colocadas sobre implantes, que proporcionam uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos, ápices alveolares pouco pronunciados ou aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Uma vantagem dos implantes é não ser necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar.

Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

Os implantes são, em geral, mais caros que outros métodos de substituição de dentes e a maioria dos convênios não cobre seus custos, cerca de R$ 1.500,00 por dente.

A Associação Dentária Americana considera seguros dois tipos de implantes. São eles:

Implantes ósseo integrado: estes são implantados cirurgicamente diretamente no osso maxilar. Uma vez cicatrizada a região da gengiva que o circunda, uma segunda cirurgia é necessária para conectar um pino ao implante original. Finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao pino, individualmente, ou agrupado em uma prótese fixa ou dentadura.

Implantes subperiósticos: consistem numa estrutura metálica que é encaixada sobre o maxilar bem abaixo do tecido da gengiva. Assim que a gengiva cicatriza, a armação torna-se fixa ao maxilar. Pinos, que são ligados à armação, projetam-se através da gengiva. Assim como no implante ósseo integrado, dentes artificiais são, então, encaixados nos pinos.

Qual a durabilidade dos implantes?

Os implantes em geral duram de 10 a 20 anos, dependendo da sua localização e da colaboração do paciente em fazer uma boa higiene bucal e de suas visitas regulares ao dentista. Por sofrerem mais estresse e serem mais utilizados, os implantes dos molares não costumam durar tanto tempo quanto os implantes localizados na parte frontal de sua boca.

As fotos de cada caso clínico pertencem ao mesmo paciente e foram realizadas no CIR, sem nenhum retoque ou manipulação digital.O Implante Dentário é um dos tratamentos mais procurados nas clínicas odontológicas. Ele serve para “repor” a raiz de dentes perdidos (seja qual tenha sido a causa). Após a colocação dos implantes, são colocadas as próteses que substituem as coroas dos dentes.
Implantes Dentários
Os implantes dentários tem evoluído muito nos últimos anos. Antigamente, pacientes ficavam até 6 meses aguardando a osseointegração (espécie de cicatrização do titânio com o osso) para a colocação prótese definitiva.
Hoje em dia, o Hospital Odontológico de Brasília utiliza os implantes NanoTite, da empresa americana 3i. Esses implantes utilizam a nanotecnologia para acelerar (e muito!) o processo de osseointegração. O tempo que antes era de 6 meses, agora é de no máximo 21 dias para a colocação da prótese.
A tecnologia de implante NanoTite foi utilizada com pionerismo pelos profissionais do Hospital no Brasil.

Como funciona

Todo implante dentário é feito de um material chamado titânio. Este material foi escolhido por não haver qualquer tipo de rejeição com o corpo humano. Os pinos, rosqueados, são inseridos na maxila ou mandíbula do paciente. A partir daí, o osso e o titânio criarão uma junção chamada de ósseointegração.

Toda essa técnica foi desenvolvida originalmente pelo sueco Per-Ingvar Bränemark nos anos 60, se tornando viável em pacientes nos anos 80.

Implante Nanotecnologia – NanoTite

Os profissionais do Hospital Odontológico de Brasília inovaram com a utilização do implante NanoTite, lançado em março de 2007 nos Estados Unidos, como a primeira clínica odontológica do Brasil a disponibilizar essa tecnologia a seus pacientes.

O NanoTite foi projetado para acelerar o processo de integração óssea. Dos casos mais simples aos mais complexos, essa nova tecnologia oferece ao paciente uma recuperação mais segura e rápida, bem como maior estabilidade nos implantes, pois utiliza uma substância biologicamente compatível com o osso natural do corpo humano e serve como catalisadora na formação de um novo osso.

Os profissionais do CIR têm experiência de mais de 18 anos em implantes dentários e foram os primeiros, em Brasília, a fazer uso dos implantes zigomáticos, da superfície TiUnite e do gel de plaqueta, técnicas de implante e regeneração óssea que, para muitos, ainda são novidades, mas que já são realizadas na clínica há mais de oito anos

Fonte de pesquisa: colgate.com.br

Nenhum comentário: