domingo, novembro 29

Abra As Suas Asas...

Te quero todos os dias,

Todas as horas...

Todos os minutos e segundos...

Sempre...

Cada dia mais...

Desde a primeira noite em que te amei...

Tantas vezes pensada e repensada...

Tu não me sai do pensamento...

Das noites...

Das loucuras...

Das lembranças...

Vividas...

Dos carinhos tão sinceros...

Tão românticos...

Tão sentidos....

De tudo guardei um pouco...

Te dei o melhor de mim...

Cansei de me humilhar...

De chamar o seu nome em vão...

De implorar o seu olhar...

Sou excessivamente individual,

Para atingir o curso de uma tão grande ausência....

De mistério...

Não sou mais o que eu era...

Sou apenas o que sinto...

E o que sinto é só um vazio...

Sou apenas um ser vivo...

Sem você eu não existo...

Entra-me pelos olhos...

O que antes só pelo sonho entrava...

Sou um pássaro ferido...

Ferido demais...

Mas tenho que partir agora...

E como me doi...

Abrir as minhas asas...

E ter que partir...

Lulucha

4 comentários:

Principe Encantado disse...

Muito linda, é preciso força para abrir as asas e voar.
Abraços forte

Cris Travassos disse...

Lindo poema, transmite amor e sensualidade ao mesmo tempo.

Beijocas
Cris

Lilian disse...

Olá querida Pat,

Sua poesia é linda.
Gostei muito.

A partida é sempre dolorida
e quando chega a hora,
não tem como não ficar ferida.

Carinhoso e fraternal abraço.
Lilian

Lauro Daniel disse...

Olá,

Que linda poesia, Parabéns, Adorei!

Grande Abraço;

Lauro Daniel