quinta-feira, abril 30

O Hábito Faz Toda a Diferença

O hábito é tão simples, que muita gente nem dá atenção. Em português claro: as pessoas esquecem mesmo e acabam suscetíveis a uma série de doenças, como diarréia e furúnculos, por um descuido que beira a bobagem. "Lavar as mãos é muito importante, tanto quanto se alimentar", afirma a infectologista Thaís Guimarães, coordenadora de divulgação da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Além de gostoso (tem sensação mais agradável do que eliminar o grude entre os dedos com um bom jato de água?), o esfrega-esfrega protege seu corpo contra uma série de bactérias, desde aquelas que buscam abrigo na camada de gordura que se forma sobre a pele até as outras que vêm parar em você por acidente como no contato com alguém doente. Numa entrevista bem didática, a médica da SBI apresenta para você a maneira correta de higienizar as mãos, fala por que o sabonete líquido é muito melhor e oferece alternativas para as situações em que faltar uma pia por perto.

A hora certa Há três situações em que você jamais pode deixar de lavar as mãos: após ir ao banheiro, antes e depois de comer e após assoar o nariz. "Isso livra seu corpo dos coliformes fecais, que podem causar diarréia e dos microorganismos que saem com a limpeza do nariz", afirma a infectologista. Antes das refeições, é importante lavar as mãos para que as bactérias não sejam levas à boca. Já ao término, o hábito evita que os germes formem morada na sua pele.

Sabonete líquido por precaução O sabonete em barra, ao formar rachaduras, pode abrigar muitas bactérias. A própria água da saboneteira, somada aos restos que se dissolveram, também é criadouro para os microorganismos. Por isso, prefira a versão líquida (a não ser que você esteja em casa e tenha uma barra de uso exclusivo).

Dispense a toalha de pano Lavar bem as mãos e enxugá-las num tecido que já foi usado dezenas de vezes, por pessoas diferentes, é pior do que ficar sem se lavar. A toalha de pano, mantida úmida e num ambiente sem sol, é abrigo certo par os microorganismos. Tenha sua própria toalha ou só use papel descartável para enxugar suas mãos.

O melhor sabonete é aquele que faz espuma A não ser que você esteja pensando em hidratação e outros benefícios, além da limpeza, pode usar qualquer sabonete que faça espuma para lavar as mãos, sem medo de errar. A higiene, como explica a médica da SBI, é resultado da sua ação de esfregar as palmas, o dorso e a região entre os dedos.

Com a ajuda da espuma, o sabão retira a camada de oleosidade superficial da pele, onde se acumulam as bactérias. Raspando embaixo das unhas A área precisa de atenção. Mas não porque concentra bactérias especiais, mais nocivas. O problema está na quantidade de microorganismos que fazem morada nesses cantinhos: o número é muito maior em relação àqueles que vivem sobre a pele.

Gel de limpeza na emergência Da mesma forma que a água e o sabão, o álcool gel deixa suas mãos limpinhas (sem a necessidade de secá-las, porque o álcool evapora). O único desconforto é que, após dois ou três usos, as mãos começam a ficar pegajosas, por isso só conte com o produto em casos de emergência.

Prevenindo a acne Nas pessoas com predisposição genética, a acne também é causada por bactérias que se depositam sobre a pele. Se este é o seu caso, e você deixa de lavar as mãos, as chances de que estas bactérias comecem a pipocar sua pele com espinhas são enormes. Sabonete não espanta bactéria Por melhor que seja o sabonete da sua casa, o papel dele é somente fazer espuma e retirar a camada superficial de oleosidade.

Um comentário:

Antonio Regly disse...

Amiga,
Além de interessante, muito educativo e necessário este seu post. Num contexto onde cada vez mais bactérias desconhecidas surgem causando inúmeras doenças, todo cuidado é pouco e, é claro, as mãos tem papel importante na prevenção.
Consegui me habituar, há alguns anos, a trabalhar na cozinha somente com luvas de procedimento.
Não economizo luvas e papel toalha. Acho-os fundamentais para a higiene e segurança na alimentação da casa.
Belo material.
Abraço.