segunda-feira, julho 13

Então, Mulheres Mais Velhas Não Têm Direito ao Amor???

OBS: A MATÉRIA É LONGA MAS É MUITO INTERESSANTE E DEVE SER LIDA.
Preconceito com mulheres mais velhas

Vou me referir aqui a uma questão que tem sido muito discutida atualmente. Trata-se de entender por que homens de determinada faixa etária dão explícita preferência a jovens com idade de serem suas filhas ou netas.Existe uma tendência a confinar mulheres menos jovens à marginalização amorosa. Acontece que a maioria das mulheres, aos 50 e até aos 60, que são vaidosas e pensam na saúde, estão se cuidando, e vale a pena assinalar que os 50 anos de hoje equivalem aos 40 dos velhos tempos, e assim por diante.

Mulheres de trinta são garotas, se comparadas às famosas balzaquianas (termo usado para as mulheres de 30 anos, a partir da obra de Balzac, escritor francês do século XIX). Hoje, provavelmente, Balzac falaria das mulheres de 40 anos e não mais nas de 30. As balzaquianas representavam a mulher em todo o seu esplendor, tanto física quanto mental.Ocorre de mulheres de 54 anos colocarem em seu perfil que têm 49. Podem fazê-lo uma vez que não aparentam mais do que isso. O fato é que falseiam a verdade e quando decidem contar a verdade ao seu parceiro o relacionamento acaba. Simples assim! Uma amiga minha, decidiu contar a idade certa às vésperas do primeiro encontro, o parceiro até então romântico e cheio de projetos para o futuro dos dois, achou abominável que a mulher tivesse tido a coragem de mentir a idade e... tudo foi pelos ares. O homem sentiu-se enganado! Ele deve ter pensado: se mentiu uma vez, mentirá sempre portanto não é confiável. Com efeito, o fato só se tornaria relevante se houvesse má fé por parte da mulher. Por exemplo: este homem deveria ter-lhe dito, claramente, que desejava ter filhos e que para ele a parceira deveria ter no máximo X anos.

Homens que estão passando dos 50 são muito apreciados por mulheres a partir de 40 anos. Em algumas circunstâncias, porém, eles sentem necessidade de ter um filho justamente nessa fase, para provar a si mesmos e aos outros que ainda não perderam a sua virilidade. Essa reação dos homens frente o passar dos anos é mais comum do que se pensa.Os que são inseguros e narcisistas não têm condições emocionais de se aproximar de uma mulher com mais de 40/45 anos. Ela lembraria a ele, pela própria idade, a fase em que se inicia o declínio da juventude que, se ele pudesse, adiaria para sempre.

Já homens na faixa dos 30 não têm esse tipo de problema com mulheres dessa idade. É impossível projetar nelas o que ainda não os ameaça: a idéia do envelhecimento e da morte.Outro fenômeno se observa com homens que se aproximam dos 60 anos: talvez por motivos psicológicos, precisam de corpos em que a perda do viço da juventude ainda não tenha se insinuado para que possam sentir-se sexualmente excitados. Querem um falso “espelho” que reflita o que eles já começaram a perder. O comportamento discriminatório em relação a mulheres mais velhas chega ao ponto de eles sentirem uma certa repulsa diante delas, bastando para isso que apresentem qualquer mácula em sua aparência – em geral, sinais de envelhecimento, como uma ruga, a pele menos viçosa, o corpo menos rijo etc.

Vale ressaltar que a idade, antes um dado pessoal, está sendo divulgada na mídia com naturalidade. A pergunta “Quantos anos você tem?” já não causa constrangimento a quem a faz. Essa curiosidade é tida como legítima e parece servir para avaliar as pessoas. Quando se trata de uma mulher e a indagação parte de um homem aparentemente interessado nela, existe implícita a dúvida: “Será que vale a pena investir em você no mercado amoroso?”. Ora, diante de preconceitos e comportamentos deselegantes e prematuros, as pessoas têm o direito de silenciar ou mentir. Este não é um critério confiável para se avaliar alguém e, no entanto, muitas mulheres se culpam quando não são sinceras.

Aos 60 anos, embora você esteja atraente e sensual, talvez alguém resolva considerá-la velha e entender que nessa idade não deve fazer ‘isto’ ou desejar ‘aquilo’. Aos 65, estará na estatística dos que entram na 3ª Idade. Você se dobrará ao que a sociedade decidiu por você? Cada fruto tem seu tempo de maturação e assim é também com o ser humano. Cada um tem seu momento para decidir se ficou idoso e do quê deve ou precisa abdicar.

Enquanto o preconceito domina, é preciso ignorá-lo e seguir adiante pelo próprio desejo e pela certeza de que, a essas alturas, é você quem deve saber o que é melhor para você.Como o preconceito com a idade da mulher, existe também em homens sensíveis e de bom nível intelectual. A preferência por parceiras jovens teria origem na própria espécie, já que o homem pode gerar filhos até uma idade bem avançada e por meios naturais, o quê não acontece com a mulher. Haveria, então, como que uma tendência instintiva do macho para continuar a cumprir sua função de reprodução, visando ainda o aprimoramento da espécie humana; daí procurarem as fêmeas mais belas, jovens e sadias.

Entre os animais irracionais, os tubarões são um bom exemplo: estão encarregados de eliminar peixes doentes e enfraquecidos pela velhice, realizando uma verdadeira varredura nos oceanos, eles devoram os que não podem ou não devem mais procriar.

Assim como as mulheres procuram homens ricos, fortes e poderosos, relegando os outros a segundo plano, se explicaria, também, desse ponto de vista, pelo “instinto” de preservação que a mãe teria em relação à sua prole.

Não se pode esquecer que o homem é o protetor ancestral da mulher.Levando-se em conta várias pesquisas, concluiu-se que a beleza é uma dádiva genética que só alguns recebem e que leva a resultados surpreendentes. Provou-se que mulheres e homens bonitos são tratados com mais consideração e atingem os postos mais disputados em sua profissão mais facilmente que os outros. A beleza é, portanto, um elemento facilitador de sucesso em todas as áreas. Com o passar do tempo, porém, a beleza começa a se esvair. Também os hormônios se alteram: diminui o estrogênio e aumenta a testosterona. Foi provado que a presença do estrogênio em maiores níveis no organismo feminino é sentida pelo homem e o atrái nessa direção,( o que se denomina: "feromônio" ) mais uma vez em função da procriação.

Até agora tudo parece conspirar contra as mulheres de mais idade. Será isso mesmo? Que tal pensarmos nas vantagens que os homens têm ao se ligar afetivamente a essas mulheres?

1) Elas não têm mais o instinto para a procriação, uma vez que, em geral, já cumpriram essa função; estão, por isso, mais atentas e disponíveis para outros aspectos prazerosos da vida;

2) Quando não estão muito carentes e ansiosas, não se privaram de experiências amorosas, se viveram um período de solidão, é quase certo que aprenderam o que é essencial para sua felicidade, e, da mesma forma, se tornaram mais compreensivas, tolerantes e generosas para com aquele que vierem a amar;

3) Elas estão se mantendo bonitas por mais tempo, graças a cuidados específicos e a recursos antes inexistentes; mulheres sozinhas dispõem de mais tempo para dedicar-se à conservação de uma boa forma e preocupam-se em ser mais atraentes, explorando tudo que têm a seu favor para compensar a desvantagem quanto à idade;

4) Enquanto os homens, guiados, a bem dizer, por instintos biológicos e/ou narcísicos, priorizam as experiências com jovens, mulheres da mesma faixa etária sabem poupar-se de experiências semelhantes, fadadas, quase sempre, ao fracasso. Na maioria das vezes, já viveram suas paixões e agora buscam uma relação sólida e amorosa, o que não subentende tédio e falta de emoção;

5) Muitas mulheres, de 45, 50 e até 60 anos, fazem reposição hormonal. Por técnicas artificiais de fecundação, uma mulher de 63 anos pôde dar à luz um filho absolutamente saudável, driblando os médicos, ao diminuir sua idade para 55, limite imposto para o tipo de procedimento usado nesses casos. Isso quer dizer que mesmo um indivíduo sem filhos pode tê-los com uma mulher de mais idade;

6) Com o tempo, muitos homens se dão conta do antigo desejo de terem uma mulher só para eles, e percebem que uma companheira saudável e de idade próxima da sua é a que pode realizá-lo nesse sentido. Com filhos criados e casados, muitas vezes já aposentadas, a convivência com essas mulheres é descoberta como sendo mais satisfatória do que a companhia mais exigente e trepidante da mulher de 20 ou 30 anos, com seu instinto materno a todo vapor.

Diferentemente dos animais, o ser humano sente desejo e busca realizá-lo; sempre que o faz em condições adequadas, o resultado é o prazer. Se a beleza e a juventude atraem o sexo oposto, não garantem de forma alguma a presença ou a manutenção do desejo, e, por conseguinte, do prazer. As fantasias humanas são as mais diversas e irão sempre se sobrepor em intensidade a qualquer instinto biológico. O objeto do desejo é fruto de singularidades do sujeito e comumente incompreensível do ponto de vista de processos conscientes. Assim, enigmático e mutante, é o desejo.

Gostaria de ressaltar que mulheres que não conseguem tirar partido do que têm à sua disposição a cada fase de sua vida costumam valorizar apenas o que foi perdido, e se tornam demasiado suscetíveis a qualquer frustração. Torna-se mais difícil para elas substituir crenças negativas por tentativas de contatos amorosos.

Em geral, elas assumem uma posição de competição com os homens, de crítica excessiva ao sexo oposto e inveja em relação às vantagens que lhe atribuem. Estas mulheres se mostram intolerantes, interpretando qualquer movimento masculino como sinal de rejeição e arrogância, e orgulham-se de alardear sua não submissão a eles.Na verdade estarão em grande desvantagem se não tiverem conseguido se livrar de seu amargor nem atingir um grau significativo de autoconfiança e aceitação de riscos inevitáveis.

Fonte de pesquisa: Dra. Thais Oliveira/ Lulucha

Nenhum comentário: