quinta-feira, fevereiro 12

As Moscas Espalham Várias Doenças

O que é aquele zumbido irritante? O que é aquilo rastejando pela tela do televisor? Garçom, o que é isso flutuando na sopa (em inglês)? A menos que a pessoa viva nas regiões polares, a resposta a todas essas perguntas, mais cedo ou mais tarde, é inevitavelmente a mesma: a mosca doméstica comum. Embora existam certamente outros insetos que se acomodam confortavelmente em nossas casas, 90% das moscas encontradas em nossas moradias são membros da espécie específica musca domestica. O termo "mosca doméstica" não é genérico; trata-se de um tipo específico de mosca que parece ter encontrado seu nicho evolutivo vivendo entre nós. Uma mosca pode ser comida saborosa para alguns animais, mas para humanos só oferece o risco de doenças Mas o problema com as moscas não é apenas que nos irritam com suas invasões. Elas portam e difundem diversas doenças potencialmente mortíferas, entre as quais a febre tifóide, salmonella, tuberculose, conjuntivite, lepra e cólera, bem como vermes intestinais e a bactéria responsável pela disenteria. Elas se alimentam e reproduzem com lixo, fezes e carne apodrecida. E então, depois de recolher milhões de microorganismos, voam para dentro de nossas casas e pousam em nossa comida, corpos e objetos pessoais, deixando para trás os mesmos germes. Neste artigo, observaremos mais de perto a mosca, sua a anatomia e o ciclo de vida que ela propele, e quais são as melhores formas de proteção. Mosca pequena, grande incômodo Enquanto presta atenção nas moscas caseiras, é possível que você encontre os parentes menores da musca domestica, a mosca caseira menor. Inicialmente elas podem parecer apenas exemplares menores de moscas, mas na verdade representam espécie completamente diferente, conhecida como fannia canicularis. Esses pequenos insetos tendem a preferir galinheiros a residências. Em repouso, é fácil distinguir entre as duas espécies porque as menores apresentam dobra de asas em ângulo mais agudo que o das moscas caseiras comuns, o que as torna mais aerodinâmicas. As asas da versão menor formam um "V" agudo quando dobradas; as da maior formam um "V" mais aberto. O ciclo de vida da mosca O ciclo de vida da mosca espelha o da maioria dos insetos(em inglês): um ciclo básico que começa com um ovo que depois se desenvolve por uma fase larva, uma fase pupa e por fim no animal adulto. Em um verão quente - condição ideal para as moscas -, o ciclo de ovo fertilizado a adulto requer apenas de sete a 10 dias. Depois que a mosca macho persegue e fertiliza a fêmea, esta está pronta para pôr ovos. As moscas são criaturas solitárias. Como no resto do mundo dos insetos, machos e fêmeas não permanecem juntos depois do acasalamento e, ao contrário dos insetos que preparam ninhos, as fêmeas não cuidam dos ovos ou os protegem. Elas simplesmente os deixam em lugar seguro contra predadores e dotado de alimentação suficiente. O ciclo de vida da mosca A mosca fêmea deposita seus ovos em fendas e cantos de alguma espécie de matéria orgânica em decomposição da qual os insetos adultos se alimentam. Em um dia, as primeiras larvas começam a emergir dos ovos. Conhecidas também como vermes, as larvas são pouco mais que tubos carnudos sem divisões, com bocas em forma de ganchos usadas para alimentação. Os vermes crescem rapidamente. Em menos de dois dias, dobram de tamanho e devem, portanto, passar pela muda. A muda é um processo comum a diversos invertebrados, por meio do qual os insetos em desenvolvimento abandonam seu exoesqueleto anterior e desenvolvem um novo. Um verme passará por mais duas mudas, emergindo maior e mais desenvolvido de cada uma. Depois da terceira muda, as larvas se enterram profundamente na substância de que vêm se alimentando. Suas peles se escurecem e endurecem e elas passam ao estágio de pupa. Dentro dessa casca protetora, a larva desenvolverá plenamente os segmentos de corpo e apêndices de uma mosca adulta. A única adição visível à mosca adulta é um calombo inchado na cabeça, usado para romper a casca. Por ela não dispor de dentes ou mandíbulas para mastigar, usa seu bucho repleto de fluido para romper a casca da pupa. Ao emergir plenamente, o calombo desincha. Animação suspensa Quando ameaçada por temperaturas frias, falta de comida ou umidade, o corpo da mosca pode se desativar temporariamente em um processo semelhante à hibernação conhecido como diapausa. O processo, que é conduzido gradualmente e tem duração potencial de meses, pode acontecer em qualquer momento do período de vida da mosca. Uma nova mosca adulta tem no máximo três meses para se reproduzir antes de morrer. Com tantos predadores, a vida média de uma mosca é ainda menor: 21 dias. Por sorte das moscas, a expressão "procriando como moscas" não é figura de linguagem: cada fêmea pode colocar até 900 ovos durante sua breve vida. A idéia de uma infestação por moscas pode se provar perturbadora demais para muitos proprietários de casas. É por essas o outras que eu odeio insetos de todos os tipos eu tenho pavor, de baratas, moscas, mosquitos, etc...
Fonte de Pesquisa: HSW

Um comentário:

Antonio Regly disse...

Só de falar e pensar moscas provoca arrepios e perda do apetite. Esse bichinho é muito asqueroso. Na minha adolescência, quando era office-boy, alguns colegas começavam a zoar na hora do almoço e perguntavam onde iria almoçar: "vai no mosca azul?" [apelido de uma das pensões onde almoçávamos]. Era só falar o nome da mosca e a fome ia embora. Aos bichinhos que você odeia, eu acrescento: lacraia e o percevejo.