sexta-feira, maio 29

Obsessão pela Fama

Para certas pessoas ter 15 minutos de fama significa uma vida inteira. Desde que sejam vistos, como é o caso dos "reality shows". O que está por trás de tanta ansiedade pela fama? Você toparia viver dentro de uma gaiola cheia de câmeras por todos os lados como fazem os participantes do Big Brother Brasil? Não? Tem muita gente, porém, que responderia sim sem pestanejar. A cada edição do programa, uma multidão incrível de interessados abarrotam a TV Globo com suas inscrições. Todos querendo entrar na casa mais devassada do Brasil e expor sua intimidade para milhões de telespectadores. O que está por trás de toda essa exposição? Claro que o dinheiro do prêmio conta e muito (antes eram 500 mil reais, na versão deste ano, subiram para 1 milhão), o que é um chamariz e tanto. Mas há também um desejo que pouca gente confessa: o de ser reconhecido, ficar famoso, ganhar status. O assunto anda tão em alta que chamou a atenção até mesmo de um filósofo especializado em comportamento: em seu mais recente livro Status Anxiety (Ansiedade pelo Status), o britânico Alain de Botton afirma que perseguimos duas coisas com igual fervor: uma é o amor romântico, aquele da nossa cara-metade; a outra é o amor do mundo, que é o reconhecimento da sociedade. "A mais poderosa motivação no trabalho é a busca por status. Ter status é se sentir amado", defende ele.

A fama traz uma sensação de "estou podendo" que, sejamos francas, é muito gostosa. Abre portas... seus caminhos começam a florescer de uma hora para outra...,seus desejos todos começam a se realizar... se você era um pouco feia em pouco tempo estará linda e nua nas capas de revistas... você tem todos os tratamentos de beleza que quiser grátis... Quem é que não quer? Mas até quando esses momentos maravilhosos irão existir? É uma vida falsa, que não é a pura realidade, é uma vida de encantamentos e que um dia acaba, e você será esquecida tão rapidamente quanto foi reconhecida. Não é para menos. Para pessoas loucas pela fama ficar ao lado de um famoso já é o bastante. É como se o sucesso do outro se transferisse para essa pessoa que persegue desesperadamente o desejo de se destacar na multidão. Existe uma razão psicológica para desejarmos a atenção dos que nos cercam: o que pensamos e sentimos sobre nós mesmos depende muito do que os outros pensam a nosso respeito. A aprovação do mundo promove auto-aceitação, da mesma forma que a desaprovação mobiliza em nós a auto-reprovação. Vendo assim, a busca pelo sucesso é até legítima-se servir para elevar nossa auto-estima. As celebridades são sinônimos de riqueza e poder de consumo. O problema é o exagero. É claro que qualquer pessoa pode ter riqueza e poder desde que trabalhem para isso. O problema é buscar a fama. É bom lembrar que, sem conteúdo, não há como se manter na topo. O melhor mesmo é sermos o que somos, e sermos bons no que fazemos. E procurar ser feliz com o que temos. Assim, o sucesso pode pintar como conseqüência, como um prêmio. Aí, sim, o estrelato vale a pena! Lulucha

Nenhum comentário: