sexta-feira, julho 24

Um Pedaço De Papel Morto - (Parte I)

Naquela tarde como em todas as outras, ao descer do ônibus apressadamente, Milena viu uma folha de papel amassada, na frente do seu edifício. No início ela não deu atenção, mas quando notou que aquele pedaço de papel amassado a seguia, empurrado pelo vento, até se irritou com a falta de higiêne das pessoas, que jogam lixo em qualque lugar, nem pensou em pega-lo, abrir e ler o que tinha dentro. Pegou o papel com a ponta dos dedos e o colocou dentro da bolsa, pois como não tinha lixeira alguma por perto... decidiu jogar na lixeira da sua casa mesmo. Ela estava segurando vários livros e sacolas, pois iria trabalhar a noite em casa.

No momento em que aquele papel resolveu segui-la, Milena não imaginou nem por um segundo as inúmeras aventuras que ele lhe proporcionaria. Quando estava subindo as escadas para o seu apartamento, encontrou a mãe lhe esperando, e então logo esqueceu do tal do papel. À noite, após o jantar, foi para o seu quarto iniciar o trabalho que havia levado para terminar em casa, assim que abriu a bolsa a primeira coisa que encontrou foi o tal do papel amassado, que até já tinha esquecido, olhou bem para ele e pensou: quem será que havia jogado esse papel fora e porque? Então, ela o batizou de: Um Pedaço de Papel Morto. Vejam só! Acabou terminando o trabalho que havia levado para casa, com uma redação sobre a estória desse papel.

Nossa! Seu chefe adorou, e ela nunca havia recebido tantos elogios por parte dos seus colegas, pois acharam um trabalho de extrema criatividade e bem diferente. Milena ficou super feliz, claro. Foi então que resolveu abrir o papel. E o que ela leu chamou a sua atenção, pois era a propaganda de uma pousada, uma linda colônia de férias. Um panfleto, que mudaria toda a sua vida. Como estava para tirar as férias anuais, resolveu convidar uma amiga para irem juntas à essa tal pousada. Uma semana depois, estavam lá, era realmente linda, tinha até uma praia particular para os hóspedes. Um lugar encantador.

Nos três primeiros dias não fizeram muita coisa, iam a praia pela manhã, de tarde iam às compras e à noite jantavam fora. No quarto dia, quando Milena desceu para tomar o café-da-manhã sozinha, pois a amiga queria dormir até mais tarde, ela o encontrou. O homem da sua vida, estava sentado à sua frente tomando o café-da-manhã. Ela não conseguia desviar a atenção do rosto dele e nem ele do dela, ficaram se olhando por horas, e então ele foi até a mesa dela e disse: "Quer se casar comigo?", ela pensou não ter escutado muito bem e disse: "O que foi que você disse?", e ele respondeu: "Eu perguntei se você quer ser a minha mulher"! Aí ela disse: "Ah, você só pode estar brincando comigo, ninguém pede uma mulher que conheceu há 5 minutos atrás em casamento! Qual é a sua?", e ele respondeu: "Eu demorei muito para achá-la, e agora que achei não vou perdê-la por nada desse mundo", ela disse: "E quem disse que isso é verdade? Quem pode saber se uma mulher que conheceu agora será tudo aquilo que você sempre desejou? É impossível!", ele se levantou e disse: "Virei buscá-la às 9:00 hs. da noite para sairmos jantar, esteje pronta." E desapareceu, sem deixar que Milena ao menos respondesse.

Subiu correndo e foi contar para a amiga que ainda dormia, quando terminou de contar ela disse: "Cuidado, amiga, vai ver esse cara é perigoso..., você não o conhece, ele nem mesmo sabe o seu nome e você o dele!!! Pára com isso Milena, antes que seja tarde demais", mas de nada adiantava ela falar, ela estava fascinada por ele, e acreditem: totalmente apaixonada. Pela 1ª vez em toda a sua vida, ela soube o que era o amar, mas amar de verdade, pois até então só havia tido casinhos sem futuro, mas esse homem... era diferente ele a atraiu tanto que ela tinha a certeza que iria acabar casando com ele mesmo. Ela parecia uma menininha de colégio, esperando pelo namorado, arrumou-se lindamente, e agora não parava de olhar para o relógio para ver se já eram 9:00hs.

Às 9;15 hs. o telefone do quarto tocou, era o porteiro avisando que havia um homem aguardando-a na recepção. Milena sentiu o coração disparar, deu uma ultima olhada no espelho, e desceu. Quando o viu, sentiu vontade de correr para os braços dele e abraça-lo, mas manteve-se calma. Ele a beijou no rosto e os dois sairam. Foram num restaurante pequeno e bem aconchegante ,e então ela ficou sabendo que o nome dele era Marcelo e ele ficou sabendo o dela, conversaram muito e depois foram andar pela praia e ficaram conversando e se beijando até o sol nascer. Fizeram planos para o futuro, e estavam decididos a se casarem mesmo. Marcelo não estava hospedado na pousada, ele estava lá a negócios. Ela a deixou na pousada às 5:30 hs. da manhã.

Quando Milena contou tudo para a amiga, esta não acreditou que os dois pretendiam se casar mesmo, enfim... ela não interferiu mais pois percebeu que de nada adiantava. Milena e a amiga voltaram para São Paulo uma semana depois, nos dias que se seguiram , Milena e Marcelo se viram todos os dias e noites. Marcelo ficou na praia por mais uns dias, disse à Milena que tinha que acabar de tratar uns negócios e que voltaria daqui a uma semana, e disse: "Meu amor, quero que você compre o seu vestido de noiva, faça tudo o que tiver para fazer, pois quando eu chegar vou querer me casar logo com você", Milena disse: "Ok, pode deixar meu amor, estarei te esperando prontinha para subir ao altar" e se beijaram longamente...

cont...

FIM DA PARTE I

Lulucha

Nenhum comentário: