segunda-feira, março 16

Como Surgiram os Sobrenomes?

Outro dia, eu comecei a pensar em uma coisa que me deixou curiosa, pensei em como surgiram os nossos sobrenomes? Talvez isto não seja novidade para alguns de vocês, mas para mim é, pois eu não sei de onde surgiu o meu.

Então, comecei a pesquisar na Internet daqui e de lá, e achei coisas do “arco da velha”, mas tão interessantes tão inimagináveis, que resolvi escrever uma matéria sobre este tema.

Os sobrenomes datam de mais ou menos, 600 ou 700 anos atrás. Vocês não calculam as quantidades de classificações que deram origem aos nossos sobrenomes.

Os sobrenomes nasceram para distinguir as pessoas, até aí tudo bem. Por ex.: Rates, Ratty, Ratz (Portugal, Itália, Alemanha...).

Naquela época as aldeias eram minúsculas, portanto bastava chamar pelo 1º nome. À medida que a população foi crescendo, foi necessário acrescentar algo mais para se distinguir as pessoas assim se adicionaram ao 1º nome, o nome do pai. Ex.: nome do pai: Lorenzo, nome do filho: João. E se tornou: João de Lorenzo.

Só que as aldeias continuavam crescendo, e percebeu-se que já não era suficiente apenas chamar o nome do filho mais o nome do pai, porque já havia muitos Joãos filhos de muitos Lorenzos. Foi nesse período, que surgiram as tais classificações. Inúmeras classificações, eu diria. Vejam só:

A) PATRONÍMICO: São os sobrenomes que têm origem no nome do patriarca da família (capostípite), ou do grupo, da tribo ou clã. Ex.: Lorenzo = filhos de Lorenzo.

B) MATRONÍMICOS: São os que têm origem na matriarca da família. Igual ao anterior só que se referindo às mulheres. Ex.: Silvina = filhos de Silvina.

C) TOPONÍMICOS: São sobrenomes que têm origem em lugares, povos, etc... Ex.: Oliveira, Germano, Palermo, Capri...

D) ANTROPOMÓRFICOS: Referem-se às características físicas, tais como: branco, negro, moreno. Como também: cabelos, comportamentos,... Ex.: Bianco, Neri, Morano, Capelli, Gentile, Vero, Penteado, e assim por diante.

E) CRONOLÓGICOS: São os que indicam uma sequência de nascimentos. Ex.: Primus, Ottavo, Sétimo...

F) CIRCUNSTÂNCIAS: São os sobrenomes que definem o nascimento em alguma circunstância que merece ser lembrada. Ex.: Lucius (que nasceu à luz do dia ou ao amanhecer), Domingos (que nasceu em um domingo). Nascimentos próximos ao Natal e ao Ano Novo. Ex.: Genaro, Januário (por nascerem em Janeiro).

G) TEÓFOROS: Que definem vocação votiva ou religiosa. Ex.: Santos, Santini, Tomé. Outra possibilidade é a adoção de crianças órfãs, abandonadas em conventos, que também receberam nomes invocativos de santos do dia. Ex.: Francisco, Bento, Rita de Cássia, ...

H) PROFISSÕES: São os que tem origem nos ofícios. Ex.: Carpenters, Pedreiro, e outros.

I) DOIS OU MAIS SOBRENOMES: Os romanos utilizavam: o nomen, o cognomen e o agnomen. Ex.: Gains Julius Caesar. Gains = ao nomen, que indica bonito, belo, charmoso. Julius = ao cognomem, que indica linhagem ou família (Julia) e Caesar = ao agnomen, que significa uma pessoa de cabelos longos (em latim).

Este sistema foi adotado por lei em todo o Império Romano e Hispânia, que compreendia toda a Península Ibérica. Com o tempo, as vogais foram se juntando, se abreviando, e surgiram milhões, zilhões de outro sobrenomes, como o seu por exemplo. Lulucha

Nenhum comentário: