sexta-feira, março 27

Ortorexia - O Que É Isso Afinal?

Cuidado com a obsessão pela alimentação saudável. Se ela se tornar uma atitude radical, pode trazer sérios riscos à sua saúde! Uma pesquisa realizada em julho de 2006 pelo Ibope, constatou que a principal preocupação de 43% dos brasileiros é com a saúde. Mas quando a busca por um corpo adequado aos padrões de beleza e por uma alimentação equilibrada se transforma em idéia fixa, começam a surgir riscos. Veja o que diz a nutricionista Bianca Azevedo, coordenadora da consultoria em Nutrição da Sprim Brasil, empresa especializada em Saúde e Nutrição, presente em vários países do mundo.

O que é ortorexia?Essa síndrome é caracterizada pela obsessão por comida natural. Quem é portador deste distúrbio começa a limitar sua alimentação por meio da exclusão de itens como produtos enlatados, artificiais, com agrotóxicos, com açúcar e outros industrializados. O argumento principal dos que carregam a nova patologia é o de não prejudicar a saúde a qualquer preço.

Como o distúrbio se manifesta? As pessoas passam a não comer o que julgam inadequado para sua saúde. Ou seja, evitam ingerir o que consideram perigoso ou o que pode desenvolver doenças. O indivíduo fica num tal estágio patológico que considera a maior parte dos mantimentos como inimigos da boa alimentação. Então, param de consumir os que não sejam preparados por elas mesmas, com base em rígidos controles da qualidade e procedência dos mesmos. Por conta desta permanente restrição, perdem muito peso. Este emagrecimento pode resultar, em muitos casos, em um quadro de ortorexia anoréxica.

E como os ortorexos passam a agir? Eles gastam grande parte de seus dias planejando as refeições e esquecem de sua vida social. Para garantir a qualidade desejada de sua dieta, os ortorexos precisam de tempo. Em contrapartida, se tornam pouco sociáveis porque não conseguem falar sobre outros assuntos e porque julgam os hábitos alimentares alheios. Nasceu na antiga Grécia o pensamento que afirma: "A diferença entre o remédio e o veneno é a dose". Ou seja, tudo que é excessivo, pode ser perigoso. Até alimentos saudáveis...

Esta doença pode levar a outros males? Além de ser possível evoluir para um quadro de ortorexia anoréxica, o portador pode ainda desenvolver outros transtornos alimentares como a anorexia e a bulimia nervosas, que afetam principalmente mulheres, adolescentes e adultas jovens, de 13 a 35 anos. Eles são classificados como doenças psiquiátricas e têm conseqüências médicas graves face ao dano sistêmico que causam ao organismo. Muitos doentes também apresentam sintomas de depressão. A taxa de mortalidade observada varia de 5% a 15%.

Quantas pessoas, no mundo, são acometidas por estas doenças? De acordo com um estudo publicado por Phillipa Hay, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Adelaide, na Austrália, a anorexia nervosa ocorre entre 0,5% e 1% das adolescentes e adultas jovens. Já na população geral, a incidência anual é de 18,5 casos em mulheres e 2,25 em homens (para cada 100.000 indivíduos). Já a bulimia nervosa afeta de 1% a 3% das adolescentes e dos jovens e também atinge um homem para cada 10 mulheres.

E a ortorexia anoréxica pode ser fatal? Os portadores deste distúrbio sofrem significativa perda de peso aliada à perda da saúde. Pela carência de nutrientes e energia, o organismo tenta se adaptar para minimizar os danos causados. Batimentos cardíacos, pressão e metabolismo ficam diminuídos, assim como a síntese de hormônios. É por isso que muitas das anoréxicas morrem por parada cardíaca: seus organismos não conseguem mais funcionar.

Quais as principais deficiências dos portadores destes males? A deficiência de vitaminas e minerais pode causar problemas na imunidade e cicatrização, provocando ressecamento da pele, fragilidade nas unhas e cabelos quebradiços. No caso das adolescentes, há prejuízo ao crescimento e desenvolvimento. Para os adultos, as complicações clínicas são variadas e vão depender principalmente do grau de perda de peso.

Como descobrir, encarar e tratar a ortorexia? É preciso estar sempre atento ao que se come e tentar adaptar à rotina diária os hábitos alimentares saudáveis. E as pessoas próximas podem auxiliar no diagnóstico desses distúrbios. A característica de passar a não aceitar alimentos que não são naturais, observada em nós mesmos ou em alguém de nosso convívio, deve ser sinalizada. Os distúrbios alimentares necessitam de cuidados médicos, nutricionais e psicológicos para sua recuperação. Tome muito cuidado com esse mal.

Fonte de Pesquisa: Dieta Já.Uol

Nenhum comentário: