sábado, abril 24

Groenlândia - Um Tesouro no Gelo


A Groenlândia, maior ilha do mundo com 2,2 milhões de quilômetros quadrados, está inseparavelmente unida ao gelo, eixo principal de sua beleza.

O gelo é inerente à Groenlândia, cujos 56 mil habitantes se espalham por apenas 15% de sua superfície não-gelada. Essa singularidade geográfica dá uma beleza única ao local, mas também condiciona e encarece o transporte para a ilha, autônoma dentro do Reino da Dinamarca.

No inverno, quando os 30 graus abaixo de zero não são raros, chega a "kaperlak", a noite eterna.

Em qualquer estação do ano, a principal atração de Ilulissat, região que é Patrimônio Cultural da Humanidade, é a geleira homônima de mais de 56 quilômetros de comprimento e 10 de largura.

A 300 quilômetros do norte do Círculo Polar Ártico, Ilulissat fica sobre um cabo junto ao fio de gelado de Kangia, onde desemboca a geleira Sermeq Kujalleq, a maior do hemisfério norte. Daí o nome dessa povoação, que significa 'montanha de gelo' na língua local. O imponente cenário oferece um verdadeiro espetáculo de gelado.

Infelizmente, consta que a camada de gelo da Groenlândia está derretendo muito mais rápido do que o previsto pelos especialistas, segundo o resultado de uma nova pesquisa do Centro Espacial da Dinamarca

Segundo o estudo, o degelo é agora quatro vezes mais rápido do que no início da década, o que faz com que as geleiras do sudeste da Groenlândia deixem cair no mar todos os anos icebergs equivalentes a um cubo de gelo gigante de 6,5 km de extensão.

"Até 2004, a massa de geleiras no sudeste da ilha perdia de 50 a 100 km3 todos os anos. Atualmente perde 300 km3 anuais. Um aumento de 400% muito preocupante", assegura o pesquisador do DTU e responsável pelo estudo, Abbas Khan.

Se esse ritmo continuar, "o nível dos oceanos aumentará 60 centímetros ao longo deste século, enquanto que os especialistas em clima da ONU previam um aumento de 20 a 60 centímetros", detalhou Khan.

Derretimento acelerado na Groelândia.

"Desconhecemos se é devido à mudança climática ou a outros fatores. O que fazemos é constatar uma situação alarmante", concluiu.

Os pesquisadores mediram o degelo graças a estações GPS ultra-sensíveis nas montanhas ao longo de todo o campo de gelo da Groenlândia.


Fonte de pesquisa: Yahoo Brasil - Ambiente Brasil/ MSN

Nenhum comentário: