domingo, abril 5

Adoçantes - Saiba tudo sobre todos os tipos existentes no mercado

Na hora da compra É fundamental que os consumidores desenvolvam o hábito da leitura do rótulo e busquem conhecimento sobre a data de validade, indicação quantitativa do conteúdo, valores calóricos e energéticos, informações nutricionais, tipo de edulcorante e ingredientes, bem como as contra-indicações para determinadas doenças.Existem adoçantes naturais como a Frutose, que é o açúcar das frutas, o Esteovisídeo que é extraído das folhas da stévia (planta nativa da região que vai do Paraná até o Paraguai).O Sorbitol, o Manitol e o Xilitol são álcoois de açúcar obtidos pela redução da glicose (sorbitol) e frutose (manitol).Adoçantes artificiais são produzidos sinteticamente.

Aspectos básicos do adoçante Com exceção da água e dos chás e cafés não adoçados, a maioria das bebidas mais populares, como os refrigerantes carbonatados, sucos, néctares, bebidas com café, chás doces e bebidas esportivas, contém algum tipo de adoçante nutritivo, adoçante não nutritivo ou uma combinação de ambos. Conhecer os adoçantes usados nas bebidas pode ajudá-lo a tomar decisões informadas e a entender melhor o papel que as bebidas desempenham em uma dieta saudável.

Adoçantes nutritivos Os adoçantes similares ao açúcar refinado (sacarose) e o xarope de milho rico em frutose (HFCS) são considerados adoçantes nutritivos porque são carboidratos contendo energia, que pode ser usada como combustível para o corpo. Tanto a sacarose quanto o HFCS contêm cerca de 4 calorias por grama, ou 16 calorias por colher de chá. Saiba mais sobre carboidratos.

Adoçantes não nutritivos Os adoçantes não nutritivos também são, algumas vezes, chamados de adoçantes com baixas calorias ou intensos pelo fato de sua doçura ser tão potente – variando de 200 a 600 vezes a doçura da sacarose. Isto significa que um pouquinho rende muito. E é por isso que adoçantes como o aspartame, a sucralose e a sacarina podem ter o gosto doce, mas não contêm virtualmente nenhuma caloria. Saiba mais sobre os adoçantes comuns usados nas bebidas.

Açúcar O açúcar é uma forma de carboidrato usado em alimentos e bebidas. Muito freqüentemente, o termo açúcar refere-se ao açúcar refinado, que contém 50% de glicose e 50% de frutose.

Acessulfame de potássio (Ace-K) acessulfame de potássio (também chamado de acessulfame K ou ace-K) é um adoçante não nutritivo (com baixas calorias) com um gosto doce e puro rapidamente perceptível. Sua excelente estabilidade sob altas temperaturas e boa solubilidade tornam o acessulfame K adequado para vários produtos. Aproximadamente 200 vezes mais doce do que a sacarose, o acessulfame K não é metabolizado pelo corpo e, portanto, não contribui com calorias. O acessulfame K é usado atualmente em centenas de alimentos e bebidas, inclusive adoçantes de mesa, sobremesas, pudins, artigos de panificação, refrigerantes, doces e enlatados. Também é usado na higiene oral e em produtos farmacêuticos. Você encontrará produtos com acessulfame K em cerca de 90 países diferentes.

Aspartame O aspartame é um adoçante com baixas calorias feito principalmente de dois aminoácidos: ácido aspártico e fenilalanina. Os aminoácidos, incluindo os dois aminoácidos no aspartame, são os blocos construtores das proteínas e são amplamente encontrados na natureza, tanto em plantas quanto em animais. Descoberto em 1965, o aspartame tem o gosto parecido com o do açúcar, sendo, aproximadamente, 200 vezes mais doce do que a sacarose. O aspartame pode ser encontrado em mais de 6.000 produtos em todo o mundo, incluindo refrigerantes carbonatados, refrigerantes em pó, gomas de mascar, confeitos, gelatinas, misturas para sobremesa, pudins e recheios, sobremesas congeladas, iogurtes, adoçantes de mesa e alguns produtos farmacêuticos como vitaminas e xaropes para tosse sem açúcar.

Há pessoas que devem evitar o aspartame? Sim, pessoas com uma doença hereditária rara chamada fenilcetonúria (PKU) devem evitar o aspartame. As pessoas com esta doença não podem metabolizar um aminoácido chamado fenilalanina – que é um dos dois aminoácidos usados para fazer o aspartame.

Ciclamato O ciclamato é um adoçante com baixas calorias que é 30 vezes mais doce do que a sacarose. É solúvel em líquidos e como é estável no calor e no frio, possui longa vida útil em armazenamento. Descoberto em 1937, o ciclamato está aprovado para uso em alimentos e bebidas em mais de 50 países, entre os quais Canadá, Austrália e México. O ciclamato é um excelente complemento a outros adoçantes com baixas calorias freqüentemente usados para reduzir o conteúdo calórico de alimentos e bebidas populares. Em combinação, o ciclamato e outros adoçantes com baixas calorias possuem um efeito sinérgico que acentua o sabor doce e reduz a quantidade de adoçante necessária para obter-se um nível desejado de doçura. O ciclamato também mascara o gosto que deixam outros adoçantes com baixas calorias, como a sacarina, dessa forma melhorando o sabor de alimentos e bebidas que contêm este adoçante. O ciclamato está aprovado para uso em alimentos e bebidas em mais de 50 países em todo o mundo. O Comitê Misto de Especialistas em Aditivos Alimentares (JEFCA, na sigla em inglês) da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO, na sigla em inglês) analisou nos últimos dez anos a literatura científica relacionada a ciclamatos e constatou de forma consistente a segurança do seu uso por seres humanos. O ciclamato também foi aprovado pelo Comitê Científico de Alimentos (SCF, na sigla em inglês) da Comissão Européia - atualmente a Autoridade Européia de Segurança Alimentar (EFSA, na sigla em inglês).

Frutose Seu conteúdo calórico é igual ao da sacarose (açúcar de mesa), devendo ser considerada na contagem calórica de dietas para obesidade. Seu alto potencial de adoçar torna a frutose um adoçante pouco calórico quando comparada com outros açúcares, já que são necessárias dosagens pequenas de frutose para se atingir um sabor adocicado.

Steviosídeo Produzido a partir de Folhas de Estevia. Adoça de 25 a 300 vezes mais (em relação a sacarose). Steviosídeo é o adoçante extraído da stévia, planta originária da Serra do Amambaí, na fronteira do Brasil com o Paraguai. O steviosídeo não é calórico e pode ir ao fogo. É o único adoçante de origem vegetal produzido em escala industrial. Calorias/grama - Zero

Sacarina A sacarina é 100 vezes mais doce que o açúcar refinado. A sacarina é um adoçante popular não nutritivo (com baixas calorias) que vem sendo usado há mais de um século. É usada em uma ampla variedade de alimentos e bebidas com baixas calorias e sem açúcar, incluindo adoçantes de mesa, artigos de panificação, geléias, gomas de mascar, frutas enlatadas, doces, coberturas para sobremesas e molhos para saladas. Também é usada em produtos cosméticos, vitaminas e produtos farmacêuticos Após 20 anos de extensas pesquisas em populações humanas, o Programa Toxicológico Nacional dos Institutos Nacionais de Saúde concluiu que a sacarina deve ser removida da lista de possíveis carcinógenos. E com base na lei federal americana, em 2001 os produtos com sacarina não precisam mais ter um rótulo de advertência. A FDA, assim como outras agências do governo, determinaram que a sacarina é um adoçante não nutritivo seguro.

Sucralose A sucralose é um adoçante não nutritivo (com baixas calorias) estruturalmente similar ao açúcar, mas 600 vezes mais doce. A sucralose não contribui com calorias para a dieta porque não é absorvida e passa rapidamente pelo corpo virtualmente sem alterações. Como a sucralose não é absorvida pelo corpo, ela não afeta os níveis de glicose. Vários estudos demonstraram que a sucralose pode ser consumida de maneira segura pelas pessoas com diabetes. Como você deve saber, a Associação Americana de Diabetes afirmou seu apoio aos adoçantes não nutritivos para uso pelas pessoas que sofrem de diabetes.

Sorbitol, Manitol e Xylitol São álcoois de açúcar obtidos comercialmente da redução da glicose (sorbitol) e frutose (manitol). Contêm teor calórico semelhante ao da sacarose (4 calorias por grama). Seu uso é permitido a diabéticos. Sorbitol e o Manitol - Estes dois adoçantes, quando ingeridos em excesso por pessoas sensíveis a eles, podem causar diarréia. Deve-se procurar ingerir até 30 a 50g em doses parceladas por dia, embora alguns indivíduos não tolerem quantidades superiores a 10 gramas. O xylitol é um álcool de açúcar obtido da hidrogenação da xilose (tipo de açúcar). Contém 4 calorias por grama, mas é absorvido lentamente. É utilizado pela indústria em produtos de goma de mascar, dado o seu efeito não-cariogênico (formador de cáries). Os adoçantes (sorbitol, manitol, xylitol) são utilizados por indústrias na elaboração de produtos dietéticos. O sorbitol, vendido na sua forma pura, é recomendado para preparo de bolos.

O que é xarope de milho rico em frutose? O xarope de milho rico em frutose (HFCS) é um adoçante nutritivo (contendo calorias) derivado do milho. É encontrado em muitos refrigerantes carbonatados, néctares, assim como em outros salgadinhos, xaropes, geléias e outros produtos adoçados. O nome "xarope de milho rico em frutose" tem confundido muitas pessoas. Apesar do nome, o HFCS tem, em geral, somente metade da frutose e, estruturalmente, é muito similar ao açúcar refinado (sacarose). Ambos são compostos pelos mesmos dois únicos blocos de construção, a glicose e a frutose (o que ajuda a explicar por que eles têm sabores tão similares). A diferença é que o açúcar refinado contém quantidades iguais dos dois açúcares simples (ou seja, 50% de frutose e 50% de glicose), enquanto que a forma do HFCS é usada predominantemente em bebidas que contêm levemente mais frutose (55% de frutose) e menos glicose. Nutricionalmente falando, também é importante notar que o HFCS e o açúcar de mesa contêm o mesmo número de calorias – 4 calorias por grama ou 16 calorias por colher de chá.

Por que certas bebidas usam uma combinação de adoçantes? Nenhum adoçanPte com baixas calorias pode ser comparado isoladamente com o sabor e a funcionalidade do açúcar refinado (sacarose), mas o uso de misturas de adoçantes com baixas calorias, particularmente misturas contendo ciclamato, pode atingir uma doçura muito próxima do açúcar.

O uso de misturas de adoçantes também pode reduzir a quantidade de adoçante necessária para obter-se um nível desejado de doçura. Isso ocorre porque alguns adoçantes são sinérgicos (ou seja, a sua doçura combinada é maior do que a soma das suas doçuras se usados separadamente). De todos os adoçantes não calóricos, o ciclamato é o mais notável nas sinergias que exibe com outros adoçantes. Ele é sinérgico com a sacarina, o aspartame e o acesulfame-K. Portanto, as misturas binárias ciclamato/sacarina, ciclamato/aspartame e ciclamato/acesulfame-K, assim como as misturas ternárias ciclamato/sacarina/aspartame e ciclamato/acesulfame-K/aspartame, são sistemas adoçantes com sabor de boa qualidade. Em todas essas misturas, a sinergia permite reduções significativas do uso de adoçantes não calóricos. Usar uma mistura também pode melhorar a estabilidade do produto.

Adoçante na dose certa Veja a dose diária recomendada (basta multiplica-la pelo seu peso). Para não ultrapassa-la, a industria vem introduzindo o conceito de blends, misturas que levam três ou mais edulcorantes na formula.

Edulcorante Limite (em mg/Kg)

Acesulfame-K 15 Aspartame 0 Ciclamato 11 Stevia 5,5 Frutose Não existe limite Sacarina 5 Sucralose 15

Regra prática Uma mulher que pese 60 kg pode tomar no máximo por dia Edulcorante Limite (em mg/Kg) Consumo maximo p/dia para esta mulher(60Kg) Aceculfame – k 15 900 Aspartame 40 2400 Ciclamato 11 660 Estevia 5,5 330 Frutose Não existe - Sacarina 5 300 Sucralose 15 900

Contra-Indicações dos Adoçantes De acordo com os respectivos edulcorantes que entram na composição dos adoçantes achamos conveniente lembrar ao consumidor que sua opção de compra deve ser embasada nas seguintes informações: Nome do Edulcorante Indicações e Contra-indicações Acessulfante K

Contra indicado para pessoas com deficiências renais que necessitam limitar a ingestão de potássio (K)Permitido para diabéticosNão favorece a formação de cáries Contra indicado para fenilcetonúricos (*) Contra indicado para gestantes e lactentesPermitido para diabéticos

Ciclamato Contra indicado para hipertensos

Sacarina Contra indicado para hipertensos

Stévia É totalmente atóxico e seguro para o organismo

Frutose Contra indicado para quem está com excesso de triglicerideos. Causa cáries.

Lactose Contra indicado para pessoas com alergia a leite e derivados. Pode ter efeito laxativo

Manitol Não favorece a formação de cáriesConsumido em excesso tem efeito laxativo

Sorbitol Sabe-se que doses acima de 70g/dia tem efeito diurético e laxativoNão favorece a formação de cáriesPode ser consumido por diabéticos

Xilitol Não favorece a formação de cáries

Sucralose Sabe-se que é atóxica à reprodução e ao crescimento infantilPode ser consumido por diabéticos

Maltodextrina Contra indicado para diabéticos por conter glicose, dextrose e diversos açúcares

CAFEÍNA É amplamente encontrada em bebidas e alimentos, como café, chá, refrigerantes cola e chocolate. O consumo moderado da cafeína por adultos, considerado como sendo cerca de 300 mg por dia (ou uma quantidade contida em 2 a 3 xícaras de café ou 5 a 6 latas de refrigerantes cafeinados) não foi associado a efeitos adversos para a saúde.Embora não definido, espera-se que o consumo moderado de cafeína seja menor para as crianças. Mulheres grávidas ou amamentando ou mulheres tentando engravidar devem consultar o médico sobre o consumo de cafeína. A cafeína é parte integrante do sabor complexo e do perfil geral de alguns refrigerantes, que os consumidores apreciam por sua refrescância, sabor e hidratação. Por mais de 100 anos, em alguns casos, as fórmulas destas bebidas têm sido uma mistura cuidadosamente equilibrada de ingredientes, incluindo adoçantes, carbonatação, cafeína e outros aromatizantes, para produzir o sabor refrescante e a qualidade divertida que os consumidores preferem, especialmente quando servidos gelados ou com gelo. O gosto amargo da cafeína é parte do perfil de sabor complexo dessas bebidas.

Saiba mais A quantidade de cafeína na maioria dos refrigerantes que a contêm é relativamente pequena – cerca de 30 miligramas de cafeína por porção de 240 ml, ou menos de um terço da quantidade presente em uma xícara de 240 ml de café comum (104 a 192 mg por 240 ml). Entretanto, como algumas pessoas preferem bebidas sem cafeína, muitos refrigerantes também estão disponíveis em versões sem cafeína. Fonte de pesquisa: Faça Facil

Um comentário:

Amanda disse...

adorei, muito intressante essa pequisa sobre adoçantes.Pois fiquei sabendo todos os adoçantes que existe e se sõ prejudiciais a saude ou não.