quarta-feira, abril 8

Os 7 Pecados Corporativos

  • Os 7 pecados corporativos Apatia, cobiça, bravura, gula, paternalismo, luxúria e desordem... Esses deslizes do mundo dos negócios podem derrubar sua ascenção. Saiba identificá-los e vença! Soberba, luxúria, ira, preguiça, gula, inveja e avareza são os sete pecados capitais condenados pela Bíblia cristã. Amplamente divulgados pela mídia, já foram explorados em livros, novelas e filmes. Um bom exemplo é Seven (1995), produção de Hollywood estrelada por Brad Pitt, na qual sete pessoas pagam com a vida por não terem resistido a cada uma dessas tentações. O que pouca gente sabe é que alguns desses pecados, a exemplo da gula e da luxúria, já transpuseram a ficção e fincaram o pé no mundo corporativo. Embora não, necessariamente, guardem o significado original do livro sagrado, unidos a outros, como: apatia, desordem, cobiça, bravura e paternalismo, têm um poder devastador sobre a carreira, que pode levar à demissão. Consultores habituados a conviver com os mais diversos tipos profissionais nas empresas afirmam que só chega ao sucesso quem realmente consegue admitir as falhas para, então, superá-las. "Assim, estaremos aptos a enfrentar os problemas", frisa Ricardo Nogueira, headhunter da Case Consultores, de São Paulo. Outro passo importante, segundo o consultor Laerte Leite Cordeiro, da consultoria paulistana de Recursos Humanos que leva seu nome, é ficar atento a vícios de comportamento e hábitos que possam minar seu crescimento.

1. APATIA Como explica o consultor Laerte Cordeiro, é a falta de vontade de buscar e de lutar pelo desenvolvimento profissional contínuo. O headhunter Ricardo Nogueira vai mais longe. "Um profissional não pode mais entregar só o que está previsto. A pessoa faz um expediente mediano e nunca se excede na entrega", fala. Nas avaliações de rendimento da empresa, esse é um dos principais itens verificados na hora de considerar uma promoção ou aumento de salário. Ele explica que há, inclusive, parâmetros para medir a performance (como: abaixo do esperado, esperado, acima do esperado e bem acima do esperado). "Todos precisam estar, pelo menos, na avaliação dentro do 'esperado' para não comprometer a carreira", explica.

Sua penitência : Esqueça as dúvidas e o medo: decida se o emprego atual é realmente o quevocê deseja para a sua carreira e o que vai lhe assegurar no futuro. Só depende de você. Se não for, coragem: não tenha medo de mudar. Mesmocom um mercado muito competitivo, é melhor evitar um trabalho a sofrer e esquecer do mais importante: o sucesso profissional só é alcançado com batalhas e muita força de vontade. E, claro, paixão pelo que se faz.

2. COBIÇA

É tentar conseguir a vaga do colega ou até mesmo almejar o salário e o emprego do seu chefe. Entre os pecados listados, é um dos piores. Portanto, fuja desse sentimento. Conquiste o que de fato é seu. Afaste-o como uma praga.

Sua penitência: Use seu tempo e sua criatividade para ajudar seu chefe a crescer. Se eleconfiar em você, são grandes as chances de vocês crescerem juntos. É um aprendizado...

3. BRAVURA Muito longe de ser uma manifestação de coragem, representa o ato de aceitar grandes desafios e tarefas sem ter qualquer tipo de conhecimento para cumpri-los.

Sua penitência Seja humilde e admita que não sabe fazer tudo. As mulheres, por exemplo,aprendem desde cedo a trabalhar duas vezes mais que os homens para receber o devido reconhecimento. Para elas, a dica é aprender a negociar e gerir as expectativas, em vez de dizer "sim" aos pedidos que não são razoáveis

4. GULA

Aqui, representa a sede por mostrar serviço e parecer eficiente. É a disposição para chegar ao mais alto posto, segundo o headhunter RicardoNogueira, da Case Consultores. Isso pode levar a pessoa a cometer outros deslizes, como fazer fofoca ou intimidar os colegas de trabalho. "As empresas que contratam nossos serviços pedem que fiquemos atentos aos candidatos que têm esse perfil", explica. "Não é conveniente tentar mascarar esse perfil no currículo, pois a verdade sempre vem à tona", diz Nogueira.

Sua penitência Policie seu comportamento e ponha freio em suas atitudes. Não adianta abraçar o mundo de uma vez. Lembre-se de que os riscos podem ser o caminho para o sucesso, mas também a rota certa para o desastre. Por isso, sempre é bom dosar seus atos e planejar suas ações.

5. PATERNALISMO Muitas vezes, as mulheres vêem no chefe a figura de um pai – como explica Louis P. Frankel. "É preciso parar com a mania de confundir o chefe com um parente. O patrão é um ser humano e espera a nossa honestidade para apontar os erros que, muitas vezes, eles não percebem", faz questão de frisar. Mas está longe de ser um parente. Por isso, não passará a mão na sua cabeça oferecendo consolo caso você erre.

Sua penitência Faça um exercício mental e tente enxergar seu chefe como uma pessoa normal, igual a você, e sem qualquer grau de parentesco. Pode parecer estranho, mas...

6. LUXÚRIA É usar sua beleza ou a boa aparência física para obter vantagens. Não adianta "apelar": a competência profissional sempre falará mais alto. A psicoterapeuta americana Louis P. Frankel, autora do livro Mulheres ousadas chegam mais longe (Nice girls don´t get the corner office, da Editora Gente), lançado em 2005, disse em entrevista que um dos pecados mais comuns é errar na escolha das roupas. Por isso, em tempos de assédio moral e sexual, opte sempre por modelos comportados. Nada de valorizar o físico...

Sua penitência Escolha roupas que não destaquem seu corpo. Observe o que as executivas bem-sucedidas da própria empresa estão vestindo. Evite roupas muito sensuais para o local de trabalho.

7. DESORDEM É a falta de planejamento, afinal, para crescer é preciso investimento. O consultor Gutemberg B. Macedo, de São Paulo, alerta sobre o perigo de confiar a gestão da própria carreira a uma empresa ou a um chefe, por melhores que eles sejam. "O profissional que não tem um plano de carreira desenhado não chegará a lugar algum", explica. Viverá andando em círculos ou ficará estagnado em uma posição. Resultado: desânimo, apatia, falta de comprometimento e de resultados.

Sua penitência O planejamento não precisa ser um tratado com gráficos e tabelas. Basta pegar uma folha em branco e estipular metas realizáveis para o novo ano, dividindo seu plano de ação pelos meses. Dessa forma, ficará mais fácil acompanhar cada passo ou corrigir a rota quando necessário.

Fonte de Pesquisa: Uol.com

Um comentário:

exoticlic.com disse...

os especialista vivem aconselhando isso e aquilo mas no fim nem eles fazem o que falam