quarta-feira, março 11

Faça um Check da Sua Alma

Faça um checkup da sua alma Quando o corpo falha ou dói, examinamos as funções orgânicas. Mas como investigar forças invisíveis que definem o estado de ânimo e impulsionam nossos atos Experimente este roteiro

Aperto no peito? Choro sem motivo aparente? Sensação de que a vida emperrou? Todo mundo já passou por isso. Seria a tal dor da alma? Difícil definir. Às vezes, é dor-de-cotovelo... Mas quem disse que cotovelo e alma não se comunicam? Os assuntos do cotidiano, do coração e do espírito não estão separados – uns afetam os outros. O psicoterapeuta Nei Ricardo de Souza, de Curitiba, lembra que, graças à arte, à filosofia e à religião, existem variadas concepç-es de alma. .Para a ciência, é o exame das funções psíquicas, como o humor e a criatividade, entre outras, que permite fazer um checkup da alma”, afirma o especialista, autor do livro PSICOTERAPIA E TAOÍSMO (ED. SUMMUS EDITORIAL). Com a consultoria dele, apresentamos o roteiro ao lado, combinando preceitos da psicologia ocidental e do taoísmo, tradição espiritual do Oriente que ele estuda há mais de 20 anos. Veja o que você pode examinar:

Nível de flexibilidade Você navega a favor ou contra o vento? Além de garantir a sobrevivência da espécie, a capacidade de adaptação às condições do momento revela muito sobre nossas possibilidades de bem-estar. Para avaliá-la, observe como lida com contrariedades e imprevistos. Faz tempestade em copo d’água ou busca novas soluções sem drama? Consegue desapegar-se do seu ponto de vista e dispor-se a conhecer outros? A maleabilidade evita dispêndio de energia, beneficia suas relações e, sobretudo, prepara você para as mudanças. Afinal, tudo muda. Basta observar a natureza para comprovar essa máxima. Existem fases de crescimento, estabilização e declínio. Sábia é a mulher que consegue identificar as características de cada situação e adaptar suas atitudes a ela”, diz Souza. No cotidiano, o espírito flexível potencializa o senso de oportunidade. Ajuda a perceber a hora de falar ou de calar; a de avançar, retroceder ou desistir da luta. Quer aumentar seu jogo de cintura? Considere aprender uma arte marcial, capoeira ou dança. E confie na profunda conexão existente entre corpo e alma

Temperatura emocional As oscilações de humor são inevitáveis. Faz parte da vida ficar triste, ansiosa ou amedrontada, às vezes. A variação emocional dá colorido à vida. Você só deve ficar preocupada se “congelar” num único estado. E o caso dos deprimidos, que sofrem de tristeza crônica dos coléricos, com seus ataques de raiva recorrentes; ou até de quem se desgasta numa permanente euforia, totalmente desconectada das próprias dores e presa à imagem da pessoa “sempre feliz”. Verifique se existe um padrão fixo. .E possível ampliar a consciência sobre esse padrão se, a cada vez que ele se manifestar, houver um processo de reflexão procurando identificar o que provoca tal estado de ânimo. Talvez chegue a conclusões surpreendentes sobre si mesma”, diz o terapeuta. Como exercício, ele sugere um diário. “O exame contínuo desses registros íntimos favorece o autoconhecimento.” Além de fazer muito pelo seu humor, ele ajuda a regular a temperatura emocional do ambiente à sua volta.

Fluxo de criatividade Existem muitos modos de ser criativa. Por isso, evite julgar essa capacidade apenas pelas ideias profissionais. Esse aspecto é supervalorizado hoje em dia, mas sabemos que, às vezes, as ideias existem, porém o ambiente não permite explorá-las. O que precisa ser avaliado é: até que ponto você assume a autoria da própria vida? Esse é o sumo do poder criativo, que faz uma mulher se reinventar toda vez que é desafiada. Além disso, o ímpeto inovador pode se manifestar na cozinha, no figurino, no jeito de educar os filhos etc. Então, se a monotonia pintar, fique alerta. Talvez a energia esteja sendo consumida por questões internas. A ansiedade e o stress, por exemplo, afetam a originalidade e a perspicácia – que não por acaso são associadas à .presença de espírito”. Aquilo que faz você se safar de um perigo ou sair com uma tirada genial. Mas, se a cabeça estiver abarrotada de preocupações, não haverá lugar disponível para novas ideias. Dê uma pausa. Práticas como meditação e rela,amento ajudam a esvaziar a mente – é o vazio que permite a gestação do novo.

  • Qualidade das relações Para os taoístas, a dinâmica da natureza e das relações baseia-se na composição das forças yin e yang. Iin é associado à noite, ao feminino, ao recolhimento. A yang representa o dia, o masculino, a expansão. Todos passamos por períodos mais ou menos favoráveis ao contato social e afetivo. O problema é cair no extremo: tornar-se muito isolada e introspectiva (yin) ou, então, partir para várias conquistas (yang) sem conseguir ficar um minuto sozinha. Para Souza, a qualidade de nossos laços está atrelada à relação que temos conosco. Quem está bem consigo mesma tende a criar ligações saudáveis; já quem transforma as relações num inferno revela desajustes importantes, mas se recusa a vê-los e acaba projetando seus defeitos nos outros.” Portanto, se uma história vai mal, seja com o namorado, seja com o chefe, antes de acusar alguém olhe para si. Você está yin ou yang demais? O que poderia ajudá-la a recuperar o equilíbrio? Essa é a condição inicial para manter relações harmoniosas.

Questão de ritmo Como a ansiedade, a pressa e a sensação de ser “devorada” pelo tempo afetam nossa alma? Vivemos na era da pressa, o que não significa que temos de ser engolidas por ela. No trabalho, cada uma de nós deve descobrir o próprio limite e respeitá-lo. Existem pressões que consideramos parte do jogo, e existem outras que nos violentam, nos fazem adoecer. Aí é hora de mudar, e nem sempre é possível fazer isso de imediato. Vale a pena estabelecer metas de médio ou longo prazo, em busca de situações mais saudáveis. No entanto, muitas pressões são de ordem interna – e aí todo cuidado é pouco, pois você pode ser cruel consigo, perdendo o contato com realidade objetiva. “Convém questionar-se a cada situação: por que estou com tanta pressa? O que acontecerá se tal atividade não for realizada? Quem está me cobrando? Isso pode mostrar que é a própria pessoa que se impõe um ritmo rigoroso e neste caso é possível relaxar um pouco o desempenho”, diz o psicoterapeuta Nei Ricardo de Souza. Fonte de Pesquisa: Editora Abril

Um comentário:

MDuval disse...

Tenho a sensação de que o que chamamos de alma está completamente desligado de nosso corpo físico e de nossas emoções, ditadas por nosso humor,ritmo, ou quaisquer outros tipos de sentimentos/comportamentos que vivenciamos no dia-a-dia.
Tenho a sensação de que a alma, apesar de intrinsecamente ligada a nós, não sofre as intempéries ou beneseses de nossa vida diária.
sinto-a como se fosse um terceiro órgão nosso.
Não sei se me fiz entender. Espero que sim.
Grande ABÇo.
Margaretnh